‘Música do Mundo’ encerra em grande estilo nas areias de Tambaú

Por - em 51

O festival instrumental ‘Música do Mundo’ foi encerrado nesta quinta-feira (30) em grande estilo e num cenário de tirar o fôlego: as areias da praia de Tambaú. A música de qualidade contagiou quem saiu de casa para prestigiar o último dia do evento promovido pela Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP). As atrações da noite foram Arthur Maia & Banda e o Grupo PB Jazz, que embalaram os espectadores com muito Jazz, samba-jazz e swing.

Além dos shows, o ‘Música do Mundo’, realizado entre os dias 26 e 30 de dezembro, contou com oficinas gratuitas para o público. O primeiro a subir ao palco foi o irreverente Arthur Maia, um dos maiores baixista do país que foi músico de Djavan e há anos trabalha com Gilberto Gil. Na ocasião, ele tocou com músicos paraibanos e encantou quem participou do festival. O baixista convidou o músico paraibano Sérgio Gallo e alguns integrantes do Grupo PB Jazz para dividir o palco com ele, abrilhantando ainda mais a festa.

Na apresentação, que durou mais de uma hora, o carioca Arthur Maia envolveu a platéia com seu carisma e energia tocando um repertório variado. Com brincadeiras e piadas, ele interagiu o tempo todo com o público.
Num momento de descontração, o baixista cantou ‘Alívio’, música feita em parceria com Djavan, e ‘A novidade’, de Torquato Neto/Gilberto Gil. “É uma satisfação participar de um evento como o festival instrumental que prestigia músicos não só daqui como de outros Estados. João Pessoa está bem viva culturalmente”, disse, reafirmando a importância desse estilo musical e citando nomes de peso como Pixinguinha, Hermeto Pascoal e Canhoto da Paraíba. Ao final do espetáculo, Arthur Maia foi ovacionado pela platéia.

Nesta versão 2010, as noites do festival terminaram sempre com um jazz banda. O privilégio de encerrar o evento ficou por conta do grupo PB Jazz, que tem 20 anos de estrada, tocando instrumentos de sopro. O trombonista Sandoval Moreno era só satisfação ao entrar no palco. Segundo ele, o festival é importante por servir de intercâmbio entre os músicos da Paraíba e de outros Estados.
O público estava extasiado com os shows. A paranaense Isa Silva, ficou encantada ao se deparar com o espetáculo na areia da praia. “Não esperava um evento tão maravilhoso. A cidade é linda e os promotores desse festival estão de parabéns por levar música de qualidade e de graça para a população”, afirmou, garantindo que vai voltar mais vez a João Pessoa. A mesma opinião foi compartilhada por Herlane Farias, que estava acompanhada do marido e do filho. Ela mora em Natal e passa as férias na Capital paraibana. “Esse tipo de atividade permite que as pessoas tenham acesso à cultura. É importante a gente se apropriar do lado bom da música”, disse entusiasmada a visitante.

Os organizadores do evento também comemoraram o resultado positivo do festival. “Hoje foi uma noite muito especial, pois estamos finalizando o nosso projeto de uma maneira prazerosa, deixando o público realmente maravilhado”, disse Gilmar Sales, diretor da Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope). Segundo ele, o resultado do evento ficou acima das expectativas, pois trouxe mais uma vez para João Pessoa grandes expressões da música instrumental experimental e garantiu um bom público todos os dias de show.