‘Casarão 34’ realiza exposição ‘1/4 – Projeto Interior’, na quarta

Por - em 31

Qual o extremo do individualismo? Questões como essas podem ser levantadas durante visita à exposição ‘1/4 – Projeto Interior’, que será aberta nesta quarta-feira, 10, às 19h30. Por meio de três instalações, compostas por diversas peças, o artista plástico Emmanuel Brito faz uma reflexão do quarto como um recorte do cotidiano das pessoas, revertido em arte contemporânea. O evento foi incluído dentro do projeto ‘Primeiro Andar – A Arte como um Novo Caminho’, do Casarão 34. A iniciativa é voltada à inclusão cultural e acontece no primeiro piso da unidade. A realização é da Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope), em parceria com a UFPB.

A exposição é resultado do trabalho de conclusão de curso de Educação Artística da UFPB, habilitação Artes Plásticas, com orientação do professor Emanuel Guedes. O autor, Emmanuel Brito, lembra que a mostra remete a ambientes privados, especificamente o quarto.

“Abordamos a arte de Rochelli Poste, que é do Rio Grande do Sul. Ela focaliza o espaço privado, faz a instalação e depois fotografa. No meu caso, escolhi o quarto porque ele está se transformando junto com a sociedade contemporânea. É uma forma de transmitir a arte através dessa intimidade. Recentemente, percebemos nele a emoção do ‘eu’, mas as pessoas não têm a visão desse meio artístico”, explicou Emannuel Brito.

Ainda de acordo com Brito, durante a observação do ambiente, podem ser percebidas algumas características inerentes à atualidade. “A mídia é quem dita o quarto. Tornou-se um espaço multifuncional, com tendência a ser cada vez mais individualizado, como uma cela, um casulo”, comparou. “Isso faze a gente se questiona sobre qual seria o extremo do individualismo”, acrescentou.

O projeto ‘Primeiro Andar – A Arte como um Novo Caminho’, do Casarão 34, é uma forma de primar pela inclusão cultural, como destaca a coordenadora da unidade, Lu Maia. “Ele oferece oportunidade aqueles projetos que estão fora do que chamamos de critérios de ocupação da unidade, como o Edital do Casarão, intercâmbio com outros programas, convites. Por isso que a iniciativa ocupa um espaço espacial, reservado no nosso primeiro piso”, justificou.