‘Hospedagem Alternativa’ melhora mão-de-obra e gera renda na Capital

Por - em 33

O programa ‘Hospedagem Alternativa’, promovido pela Prefeitura de João Pessoa por meio da Secretaria Executiva de Turismo (Setur), completa um ano com investimentos na melhoria da mão-de-obra, disponibilizando o curso de capacitação ‘Técnicas de Hospitalidade’. A iniciativa possibilita a hospedagem de visitantes em casas de família por um custo mais baixo e contribui para a geração de renda e movimentação da atividade turística na Capital paraibana.

O curso vai acontecer em parceira com Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) e terá duração de 45 horas, com a aplicação de disciplinas como ‘Qualidade de Atendimento’, ‘Ética’, ‘Manipulação de Alimentos’, ‘Limpeza e Hospitalidade’.

Na próxima quinta-feira (8), os 19 inscritos no Hospedagem Alternativa e ‘Bed and Breakfast Brasil (BB Brasil)’ vão participar de reunião às 19h no Senac, para estabelecer o cronograma do curso. “Este é um projeto piloto na Paraíba e estamos trabalhando para garantir mão-de-obra serviços melhoras consolidando o programa”, comenta Micheline Félix, diretora de Desenvolvimento Institucional da Setur.

Como surgiu – Criado pelos irlandeses na década de 1960, os habitantes locais tinham o costume de exibir nas portas das suas residências as famosas placas com a expressão ‘bed & breakfast’ (cama e café). Desse modo, viajantes e turistas sabiam que nessas casas havia uma boa cama e um farto café da manhã. A originalidade do tipo de contato atraiu um público maior e mais diversificado, aumentando substancialmente a demanda de ‘B&B’ e de serviços afins. No Brasil, o conceito já está presente há alguns anos e existem muitas ofertas desse tipo, especialmente no Rio de Janeiro (RJ) e em algumas cidades do Nordeste.

Vantagens – O ‘Hospedagem Alternativa’ é baseado no sistema ‘bed & breakfast’ (cama e café) e permite ao turista ficar na casa de uma família comum, com ou sem direito a café da manhã, pagando um preço de acordo com a sofisticação das instalações, que podem incluir de ar-condicionado até piscina. Mesmo assim, a diária geralmente fica bem abaixo da rede hoteleira tradicional. O programa teve início em João Pessoa durante a realização do concurso do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) em 2007, pois os hotéis e pousadas da cidade já não dispunham de vagas para hospedar os candidatos de outros estados que vieram fazer as provas.

Na época, foram selecionadas 19 residências. Passado um ano, os proprietários já participaram do Programa Municipal de Apoio aos Pequenos Negócios (Empreender-JP) e finalizam o plano de negócios para receber financiamentos capazes de gerar uma melhor qualidade nos equipamentos oferecidos aos hóspedes. Com o programa, João Pessoa aumenta a oferta de hospedagem, principalmente para as datas de grande fluxo turístico, como concursos, eventos ou na alta estação.

Cadastradas – Atualmente, dez residências da Capital estão enquadradas nas especificações necessárias para integrar o ‘BB Brasil’. Elas podem ser visualizadas por turistas de todo o mundo através da Internet, no site www.bbbrasil.info. Na página há fotos e a descrição de cada uma das residências. A Setur está trabalhando na colocação de placas informativas e indicativas para que o visitante possa saber onde o serviço está disponível.

“Nós iremos sinalizá-las distinguindo entre as que fazem parte do Hospedagem Alternativa e do BB Brasil. O projeto tem alcançado efeito positivo e agora, vamos investir na profissionalização destes serviços, colocando João Pessoa mais uma vez em destaque nacional”, comenta Elzário Junior, secretário executivo de Turismo.

Segundo ele, o objetivo deste treinamento é preparar as residências e a mão-de-obra, para o grande fluxo de turistas esperados para a cidade no mês de julho, período de férias. A Capital também está sendo visada por um site internacional que trabalha com a troca de casas, para que os integrantes do ‘Hospedagem Alternativa’ conheça e integre o modelo.