‘Maria canta a Paixão’ emociona e público aprova espetáculo

Por - em 36

Os dois mil e quinhentos lugares disponibilizados no anel interno do Parque Solon de Lucena ficaram totalmente preenchidos na noite da Sexta-feira Santa (21), a terceira do o espetáculo ‘Maria canta a Paixão’, promovido pela Prefeitura de João Pessoa (PMJP). Antes mesmo de a primeira sessão começar, duas filas quilométricas se formaram ao redor da estrutura montada ao ar livre.

Toda trajetória de Jesus na Terra é contada por três ‘Marias’, cada uma delas representando uma passagem de tempo. A principal narradora é a atriz Eleonora Montenegro, que pela quarta vez interpreta a mãe de Jesus. “Maria é símbolo de resignação. Nas encenações da paixão de Cristo ela aparece como uma personagem coadjuvante, que vê o filho sofrendo e não pode expressar totalmente sua dor. O texto esse ano me permitiu externar essa emoção e angústia que uma mãe passa ao ver o filho sofrendo, revivendo com intensidade cada passagem de tempo. É gratificante interpretar essa personagem e emocionante ver que o público entendeu a mensagem,” comentou Eleonora Montenegro.

Outras duas novidades nesse ano também chamaram a atenção do público: o desempenho dos atores no palco que imitam gestos de bonecos de fantoches e a crucificação de Jesus, onde as cruzes são pintadas em telas e os personagens deitam no chão.

O espetáculo, dirigido por Antonio Deol e Duílio, Cunha tem duração em média de duas horas e meia. Cinqüenta e seis atores interpretam as principais passagens bíblicas que vão da anunciação da vinda de Cristo à trajetória de vida com os milagres, a Santa Ceia, a Via Sacra, a morte e a crucificação do filho de Deus.

Para o diretor Duílio Cunha, que já dirigiu o espetáculo por duas vezes, em 2006 e agora em 2008, é um desafio reescrever a cada ano a história mais conhecida da humanidade. “O público já conhece a história da Paixão. Por isso tanta dedicação para fazer do espetáculo algo inédito, não transformando a história, mas mudando a forma de como ela é narrada. E ver a platéia vibrando ao término de cada apresentação é apaixonante”, descreveu Duílio.

Toda a narrativa é acompanhada pela trilha sonora instrumental executada ao vivo pela orquestra dirigida pelo Maestro Eli-Eri Moura. O ápice do espetáculo é a ressurreição de Cristo, anunciado com fogos de artifício. O Cristo é representado aqui por um boneco gigante.

Entre as milhares de pessoas que assistiam à apresentação, estava a aposentada Josefa Maria Gomes, de 70 anos. Bastante emocionada, ela definiu como maravilhoso o espetáculo. “A Prefeitura está de parabéns. Tudo aqui está muito bonito. Todos os anos eu venho aqui com minha filha e me emocionei muito ao ver ‘Maria’ contando seu sofrimento de mãe”, afirmou.

Católica devota, a aposentada Tereza Maria da Silva, de 75 anos veio sozinha do bairro de Cruz das Armas ver o espetáculo. “Fui para a procissão do senhor morto na Catedral Basílica e depois vim assistir a paixão de Cristo. É uma história que emociona idosos, adultos, jovens e crianças. Achei bem bonito ‘Nossa senhora’ contar a história”.

O espetáculo “Maria Canta a Paixão” foi encenado de quarta-feira (19) à domingo (24), com entrada franca.