‘Topografia Social’ traz a análise das 14 áreas do OD

Por - em 49

Gestores públicos, técnicos, profissionais, estudantes e estudiosos em assistência social, participaram do lançamento do livro a ‘Topografia Social da Cidade de João Pessoa’, na nesta terça-feira (14), no auditório da Reitoria da Universidade Federal de Paraíba (UFPB), durante abertura do ‘I Colóquio sobre controle social e participação social na política da assistência’, promovido pela UFPB. O evento tem o apoio da Prefeitura de João Pessoa (PMJP), da Universidade Católica de São Paulo, através do Centro de Estudos das Desigualdades Sócio-Territoriais (CEDEST/PUC-SP), e do Ministério do Desenvolvimento Social (MDS).

A abertura do evento contou ainda com a participação do pró-Reitor, Luiz Renato, da secretária de Planejamento do Município, Estelizabel Bezerra e do representante do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Fernando Brandão, que destacou a importância do estudo, falando sobre a urgência da implementação de políticas públicas de assistência eficiente. Nesta quarta-feira (15), durante a manhã, Fernando Brandão vai ministrar uma palestra sobre o ‘Controle social e a participação social na política da assistência social’.

“A ‘Topografia Social da Cidade de João Pessoa’, é uma poderosa ferramenta de informação para desenvolver ações de políticas públicas direcionadas e eficientes. Esse estudo nós permite conhecer melhor esse mapa de exclusão e inclusão, e assim, dirigir investimentos dentro do que a população precisa, conhecendo qualitativamente as potencialidades e carências das áreas apontadas. O livro é resultado do estudo realizado pelas professoras doutoras Aldaíza Sposati, da PUC São Paulo, e Marinalva Conserva, professora do Programa de Pós-Graduação em Serviço Social da UFPB, que se empenharam e agora nos dão esse material tão importante para a gestão pública em geral”, destacou a secretária de Planejamento do Município, Estelizabel Bezerra.

De acordo com a professora e pesquisadora, Marinalva Conserva, o trabalho traz uma análise sócio-territorial das 14 áreas do Orçamento Democrático (OD), e sua divisão por bairros. “Nestas áreas, foi feito o levantamento sócio-territorial, transdisciplinar e multidimensional para definição da gestão de políticas públicas. O objetivo foi criar o mapa da vulnerabilidade das famílias a partir de linguagens quantitativas, qualitativas e de geoprocessamento, produzindo índices de exclusão/inclusão que vinculam condições de vida da população ao território, gerando um instrumento político-pedagógico de participação de questões relativas à gestão da cidade, na perspectiva de conhecer e intervir nas suas condições de desigualdades de vida através de políticas públicas; construir os territórios de gestão da política municipal de assistência social da cidade de João Pessoa”, ressaltou Marinalva Conserva.

As pesquisadoras tiveram como fonte os dados do Censo Demográfico e contagem populacional referente ao ano de 2000 fornecidos pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE); informações sobre a infraestrutura dos serviços de saúde, educação, assistência social, sendo utilizada a localização geográfica desses serviços no território, além da base cartográfica da prefeitura, fornecida pela Secretaria de Planejamento (Seplan).