‘Circuito Cultural’ leva arte e lazer para espaços públicos neste sábado

Por - em 71

Música, dança, teatro e atrações da cultura popular compõem a programação do Circuito Cultural das Praças neste sábado (1º), em 11 espaços públicos da Capital. O evento, que acontece de setembro a fevereiro e objetiva promover a diversidade cultural, além do fomento e descentralização das atividades culturais, é promovido pela Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), por intermédio da sua Fundação Cultural (Funjope).

Alto do Mateus – A programação tem início às 17h, na Praça das Mangueiras, no Alto do Mateus, com a apresentação da Companhia Paralelo de Dança, com o espetáculo ‘Malaki’, que tem como pano de fundo o Holocausto, que ceifou inúmeras vidas e trouxe ao homem uma nova forma de observar o mundo, assim como a percepção da ausência de uma proteção divina naquele momento onde nada parecia comungar nenhum valor, seja material ou espiritual.

A diretora artística do grupo, Joyce Barbosa, disse que o ‘Malaki’ é um espetáculo muito emocionante e possível de tocar várias pessoas. “Trata de uma ideia muito corriqueira na vida das pessoas, que é a perda de alguém que se ama. Espero que o público se envolva e sinta como a dança pode ser também, assim como a música, o teatro e demais artes, um meio de comunicação bastante rico.”

Manaíra – No mesmo horário, a Praça Alcides Carneiro, em Manaíra, recebe o Cavalo Marinho Infantil do Mestre João do Boi, do Bairro dos Novais, que foi criado em 1967, constando, inclusive, em registro do folclorista Câmara Cascudo. O Mestre João do Boi nasceu em Bayeux e ao longo dos anos tem ensinado as crianças, de forma lúdica, a importância da cultura popular, perpetuando os conhecimentos tradicionais do cavalo marinho através de seu espírito brincalhão.

A brincadeira representa um auto da morte do boi, onde as crianças dançam ao som de banjo, triângulo, reco e pandeiro e se apresentam figuras como o Mateus, o Birico, a Catirina, a Margarida, a burra, o urubu, o bode e o boi. Recentemente, o grupo gravou um CD intitulado ‘Cavalo Marinho e Boi de Reis na Paraíba’.

Altiplano – A Atração da Estação Cabo Branco – Ciência, Cultura e Artes, também a partir das 17h, é o espetáculo ‘Allem Circo’, da Trupe Pirulito de circo-teatro. O espetáculo retrata duas posições antagônicas a respeito da programação de um show que será apresentada no circo. De um lado o apresentador ou mestre de cena, que defende uma programação tradicional, restrita aos artistas do picadeiro, com malabarismo, equilibrismo, bailado, perna de pau e mágica. Do outro lado está o Palhaço Cocerinha, que tenta modificar a concepção do apresentador, transformando o show em uma verdadeira confusão.

O posto cobiçado acaba sebdo ocupado pelo Palhaço Cocerinha, que muda a programação do circo com seu jeito especial de ser: poético, fanfarrão, ousado e descontraído. Enquanto isso, o mestre de cena é transformado em um palhaço interativo, que leva o publico a dar muitas gargalhadas.

Castelo Branco – ‘Baixinho do Pandeiro e seu regional’ é o título do show que acontece a partir das 19h, na Praça da Cultura, no Castelo Branco. O artista promete movimentar o público com muito samba, xote, coco e músicas de Jacson do Pandeiro. Baixinho do Pandeiro, que celebra os seus 57 anos de carreira, nasceu na cidade de Remígio, no interior do Estado. Em 1975, passou a residir em Campina Grande, onde era conhecido como Zé do Pandeiro.

Em 1995, o artista se apresentou com a Orquestra Sanfônica de Campina Grande e passou a fazer parte da banda de Biliu de Campina, que é o responsável pelo nome artístico de Baixinho do Pandeiro. Participou de show de grandes artistas nordestinos, a exemplo de Marinês, Waldonis, Elba Ramalho e Dominguinhos.

Bessa – A Praça do Caju, no Bessa, recebe a partir das 19h, a Exodus Reggae Band, que surgiu na cena cultural pessoense em 2007, fruto da união musical entre Ras Coutinho, Janilton e, posteriormente, o baterista Edson, que se conheceram em uma loja de reggae, no Centro da Capital.

Desde então, o grupo leva através da música a mensagem de Jah, resgatando o reggae raiz. Atualmente é composta por oito integrantes, com o propósito de revolucionar com o reggae music visando a cultura rastafari e a mensagem de Jah. A banda já se apresentou em grandes eventos da cidade, a exemplo do Estação Nordeste, no an o passado.

Padre Zé – O trio pé de serra Agudos do Forró promete animar o público da Praça da Conquista, no Padre Zé, a partir das 19h, com muito xote e baião, e composições imortalizadas na voz de grandes nomes da música nordestina, a exemplo de Luiz Gonzaga, Jackson do Pan deiro e Os Três do Nordeste.

A banda, que surgiu em 2005, é formada pelos músicos Jailson Martins (sanfona), José Francisco (triangulo e voz), Edvaldo (contrabaixo) e Josenildo (zabumba). O sanfoneiro Jailsom Martins revelou que pretende fazer um grande show de forró e embalar a plateia com clássicos do forró pé de serra.

Funcionários I – O espetáculo ‘Despertando para Eco-Cidadania’, do Grupo Jovem Zabala, que faz parte da Associação de Teatro Ateartyoga é a atração da Praça Lauro Wanderlei, no Funcionários I, a partir das 19h. Segundo os integrantes do grupo, a proposta busca agregar nas pessoas valores ambientais, além de sensibilizar a mentalidade do público infanto-juvenil com informações a respeito do manuseio do lixo através das artes.

O Grupo Jovem Zabala é formado por 10 ex-alunos do Centro Cultural Piollin e desenvolve este trabalho de conscientização desde o ano de 2005. O espetáculo ‘Despertando Para a Eco-Cidadania’ foi contemplado no Fundo Municipal de Cultura (FMC) e apresentado em diferentes espaços da cidade, a exemplo de escolas públicas municipais e Universidade Federal da Paraíba (UFPB), além da participação em Festival de Teatro realizado na cidade de Monteiro.

Funcionários II – O espetáculo ‘Mac Belo’, da Companhia Retalhos será apresentado na Praça bela, no Funcionários II, às 19h. Baseado em uma das maiores obras de Sheakspeare, que é ‘Macbeth’, a peça, com duração de 50 minutos, é uma adaptação feita por um grupo de palhaços que decidem montar essa tragédia. Segundo eles, mesmo não ferindo o contexto da obra original, o bom humor impera na atuação dos atores, fazendo com que a história acabe se tornando divertida.

O espetáculo tem direção de Diocélio Barbosa, direção musical de Márcio de Paula, figurino de Tainá Macedo, e adereços de Adriano. No elenco estão os atores Almir Cavalcante, Daniel Nóbrega, Emerson Leal e Pedro Eri.

Gervásio Maia – A Praça da Esperança, do Residencial Gervásio Maia, recebe a partir das 19h o samba de roda da Scola de Capoeira Afro-Nagô, coordenada por Mestre Zunga, que atua na cultura popular desde 1980. O grupo já desenvolveu atividades em praticamente todos os bairros da Capital, além de outras cidades do Estado, a exemplo de Campina Grande, Soledade, Cubati e Santa Rita.

Além do samba de roda, o grupo também desenvolve ritmos como o maculelê, danças afro, puxado de rede, ciranda, xaxado, coco de roda e coco paparú.

Valentina – A banda de baile Mega Show vai animar a Praça do Valentina, a partir das 19h, trazendo o melhor da MPB, além de uma variedade de ritmos, como o axé, o forró e o samba. O grupo apresenta um repertório dançante e cheio de swing, numa mescla de composições autorais e grandes sucessos da música brasileira.

Jaguaribe – O espetáculo Flor de Macambira, do grupo ‘SerTão Teatro’ é a atração da Praça Aquiles Leal, em Jaguaribe, a partir das 20h. A peça conta a história de Catirina, que sucumbe aos vícios e tentações mundanas e, para salvar a si e a seu amado, mergulha nas profundezas de sua alma. Tipos do cotidiano brasileiro, como o coronel sanguinário, o padre mercantilista, o bicheiro corrupto, e o triunvirato do capitalismo: o economista ilusionista, o banqueiro especulador e o marqueteiro enganador vão sendo apresentados, quadro a quadro, no espetáculo. ‘Flor de Macambira’ é uma leitura contemporânea da dramaturgia da década de 60.

A atriz Isadora Feitosa disse que as expectativas do grupo são as melhores. “É com grande entusiasmo que o ‘SerTão Teatro’ é agraciado com as apresentações do Circuito das Praças, promovido pela Funjope. Principalmente porque o projeto é semelhante à proposta do grupo e do espetáculo “Flor de Macambira”, que é levar o teatro a lugares em que as pessoas provavelmente não tenham acesso ou estímulos para se deslocar de suas casas e ir assistir a shows de música, a espetáculos de teatro e dança, entre outras atividades produzidas em João Pessoa”.

Programação – Sabado (1º de outubro)

– Alto do Mateus (Praça da Mangueira) – 17h

Espetáculo Malaki, Companhia Paralelo de Dança (dança)

– Manaíra (Praça Alcides Carneiro) – 17h

Cavalo Marinho Infantil (cultura popular)

– Estação Ciência (teatro de arena) – 17h

Allem Circo (circo)

– Castelo Branco (Praça da Cultura) – 19h

Baixinho do Pandeiro (cultura popular)

– Bessa (Praça do Caju) – 19h

Êxodus Reggae Band (música)

– Padre Zé (Praça da Conquista) – 19h

Trio Agudos do Forró (música)

– Funcionários I (Praça Lauro Wanderley) – 19h

Despertando para a Eco Cidadania (teatro)

– Funcionários II (Praça Bela) – 19h

Mac Belo (teatro)

– Conjunto Residencial Gervásio Maia (Praça da Esperança) – 19h

Escola de Capoeira Afro Nagô (cultura popular)

– Valentina (Praça Soares Madruga) – 19h

Banda Mega Show (música)

– Jaguaribe (Praça Aquiles Leal) – 20h

Flor de Macambira (teatro)