‘Memórias de um Trombone’ presta homenagem a Radegundis Feitosa

Por - em 62

Está aberta oficialmente, no primeiro pavimento da Torre Mirante da Estação Cabo Branco – Ciência, Cultura e Artes, a exposição ‘Memórias de um Trombone’, em homenagem ao músico Radegundis Feitosa. A mostra faz parte das comemorações da ‘Semana do Músico’ que começa nesta terça-feira (22) e prossegue até o dia 27 de novembro. A exposição ficará aberta ao público para visitação de terça a sexta-feira, das 9h às 21h, e sábados e domingos das 10h às 21h.

A exposição apresenta um lado mais intimista e conta com fotografias, recortes de jornais, diplomas, crachás entre outros objetos pessoais que faziam parte do dia a dia de Radegundis Feitosa. “Queremos celebrar a vida dele” coloca Rivaldo, chefe do setor de Programas e Atividades e músico. “Essa homenagem fala sobre o lado mais pessoal de Radegundis, um lado que o público não conhecia”.

Para compor a exposição a curadoria da Estação Cabo Branco contou ainda com a ajuda da viúva do músico, Simone Feitosa, que reuniu materiais inéditos e pessoais, o que faz a exposição ainda mais exclusiva.

O Músico – Radegundis Feitosa era filho natural de Itaporanga (PB). Mudou-se para João Pessoa na adolescência para cursar Engenharia Civil na Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Com o surgimento do bacharelado em música optou por seguir a carreira. Começou a tocar trombone aos oito anos de idade, incentivado pelo pai, e aos 13 anos já integrava a Banda Filarmônica Cônego Manoel Firmino, foi mestre pela “The Julliard School” (New York, USA, 1987) e doutor em trombone performance pela “The Catholic University of America” (Washington, D.C, USA, 1991), orientado por Per Brevig. Sempre foi um músico respeitado e conhecido dos paraibanos. Com sorriso largo no rosto e sempre muito cativante Radegundis se lançava no mundo com o seu trombone e era chamado de “virtuosis”.

Era membro efetivo da Orquestra Sinfônica da Paraíba (OSPB) e da Bahia. Foi vencedor de vários concursos nacionais e internacionais, a exemplo do Jovens Concertistas Brasileiros em 1984-85, Jovens Intérpretes da Música Brasileira, em 1984, “East and West Artist” para debut no “Carnegie Recital Hall”, em New York, USA. Foi professor de trombone da UFPB desde 1983.

Serviço:

Exposição: Memórias de um Trombone (Semana do Músico)

Horário de visitação: 9h – 21h

Até 10.01.2012

Local: Pavimento 1 – Estação Cabo Branco – Ciência, Cultura e Artes – Altiplano.

Fone: 3214.8270 – 3214.8303

Contato para imprensa

Rivaldo Dias – Chefe do Setor de Programas e Atividades da Estação Cabo Branco – Ciência, Cultura e Artes

Fone: 8812.3999 – 9613.7093

Lúcia França – Curadora da Estação Cabo Branco

Fone: 8708.9445 – 9985.2725 – 8802.3255

Email: luciafranca1001@gmail.com