“Literatura e Gênero” abre temporada do “Que tal quinta?”

Por - em 51

Os amantes da literatura prestigiaram na tarde desta quinta-feira (28), na Sala Funjope, a abertura da temporada 2011 do projeto “Que tal quinta?” que trouxe o tema ‘Literatura e Gênero’ e teve como convidadas a autora paulista radicada no Ceará, Nina Rizzi, e a poetisa potiguar Marize Castro, com mediação do jornalista paraibano Tiago Germano. A promoção é da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), por intermédio da Fundação Cultural (Funjope).

O encontro teve início com a exibição do vídeo ‘Lábios-espelhos’, de Marize Castro, que traz o mesmo nome do livro lançado pela autora na ocasião. Em seguida, Nina Rizzi exibiu o vídeo ‘Platonismo em linha reta’, que apresenta fragmentos da sua obra, com imagens captadas na Patagônia.

A escritora Mariza Castro, que lançou o livro ‘Lábios-espelhos’ falou sobre a produção literária no sentido da criação da poesia. “Pra se fazer poesia tem que ter liberdade, fugir das amarras, inclusive da linguagem e da escrita”.

A autora Nina Rizzi, agradeceu o convite feito pela Funjope, parabenizou a proposta e ressaltou a importância de um projeto dessa natureza. Sobre a poesia, revelou “A poesia me resgata de mim mesma. Não só a poesia, mas qualquer expressão artística tem o poder de resgatar, no sentido educativo de salvar as pessoas. A vida deve ser uma prática diária da poesia”.

Nina Rizzi disse que essa iniciativa é importante para os leitores terem contato com autores. “Mas também é muito bom pra gente poder se mostrar, ser vista e ouvida. A minha história com essa cidade começa hoje e foi muito bom conhecer João Pessoa, vou levar belas lembranças. Pois aqui eu fui muito bem recebida”, observou.

A poetisa pessoense Alana Pessoa também avaliou o evento como positivo. “Foi importante por trazer um resgate da poesia para o ser humano, onde através do debate ressaltou-se a valorização do sentimentalismo superando o conceito de gênero, pois a poesia envolve a subjetividade, sensibilidade e o ‘eu crítico’”.

Durante o debate, as escritoras expuseram sobre gênero, explorando o sentido ambíguo da palavra, ou seja, o gênero ligado ao sexo, a exemplo do desuso atual da palavra poetisa e o uso comum do termo poeta para os gêneros masculino e feminino. Também abordaram o gênero literário poesia, como uma forma revolucionária de ver, interferir e modificar a realidade do universo.

Que tal quinta? – O projeto literário, de caráter aberto e lúdico, acontece sempre na última quinta-feira de cada mês, com a participação de dois ou mais convidados para um debate sobre um ou mais temas ligados à obra de cada autor. Também há espaço para performances poéticas, recitais, exibição de vídeo e lançamento de obras, com o objetivo de promover a interlocução entre autores e consumidores de obras literárias, estimulando a produção e descentralizando os bens e as expressões culturais da Capital.