19 bairros serão atendidos pelo projeto que transforma óleo em sabão

Por - em 46

O projeto ‘Não vai pelo ralo’, que coleta óleo de cozinha usado para transformar em sabão ecológico, está sendo levado para os 19 bairros de João Pessoa atendidos pela coleta seletiva. A iniciativa é desenvolvida pela Autarquia Especial Municipal de Limpeza Urbana (Emlur) e tem o objetivo de diminuir o impacto ambiental causado por esse produto, que depositado em local inadequado polui a água e o solo. Desde que a ação foi iniciada no mês de fevereiro deste ano, a Emlur já coletou 2,3 mil litros de óleo.

Para participar do projeto os moradores só precisam juntar o óleo usado em frituras dentro de garrafas pets. Esse material, por sua vez, deverá ser entregue ao agente ambiental (catador) ou deixado em um dos pontos de coleta do óleo usado, que são os seguintes: Núcleos de Coleta Seletiva do 13 de Maio, Cabo Branco, Bessa e Jardim Cidade Universitária; sede da Emlur; Pão de Açúcar de Miramar; e no Centro Federal de Educação Tecnológica (Cefet).

Atualmente, o projeto conta com a adesão de barraqueiros que trabalham na orla e restaurantes espalhados pela cidade. O ‘Não vai pelo ralo’ foi iniciado dentro do restaurante da Autarquia. Além desse projeto, a Emlur é parceira de outra iniciativa de recolhimento desse tipo de produto, o ‘Óleo Cultural’, onde a coleta é realizada através da Associação Não-Governamental Anjos Verdes (Agav), localizada no Geisel.

O processo
– Todo o óleo recolhido é encaminhado para o Cefet, onde é transformado em sabão ecológico. O processo de fabricação é simples e o resultado é um produto de ótima qualidade. Para cada cinco litros de óleo utilizado são produzidas 50 barras de sabão a um custo de R$ 4,50. A fabricação do sabão demora em média 40 minutos. A Emlur tem o projeto de fabricar o produto dentro da sua sede.

A superintendente da Emlur, Laura Farias Gualberto, lembrou que o óleo de cozinha usado, quando jogado em local inadequado, causa vários problemas ao meio ambiente e ainda entope os encanamentos. “O material, quando jogado pelo ralo, vai para a rede de esgotos e chega a rios, mares e lagoas prejudicando o equilíbrio destes ecossistemas”, lembrou.

De acordo com a superintendente, como o produto é mais denso que á água, fica na superfície impedindo a passagem dos raios solares, responsáveis pela vida da fauna e flora. “Além de impermeabilizar o solo, o óleo descartado inadequadamente adere nas paredes das tubulações de esgoto, facilitando o entupimento e o surgimento de enchentes. Se jogado no lixo comum, o material se decompõe emitindo metano, um dos gases causadores do efeito estufa”, acrescentou.

As localidades atendidas pela coleta seletiva em João Pessoa são os seguintes: Altiplano, Epitácio Pessoa, Cabo Branco, Bessa, Bairro dos Estados, Bairro dos Ipês, Condomínio dos Ipês I e II, Conjunto Pedro Gondim, Conjunto Verde Mar, Jardim 13 de Maio, Manaíra, Miramar, Mandacaru, Tambaú, Anatólia, Jardim São Paulo, Jardim Cidade Universitária, Bancários e Mangabeira.

Confira os endereços dos Núcleos de Coleta Seletiva:

Núcleo de Cabo Branco – Avenida Paulino Perito, s/n.
Ponto de referência: Entre antena Vésper com Posto Cabo Branco

Núcleo Bessa – Por trás terminal de ônibus 5010

Núcleo Mangabeira – Rua Manoel Roberto Nascimento, S/N.
Por trás do CAIC

Núcleo 13 de maio – Av. Espírito Santo S/N.

Sede da Emlur – Av. Minas Gerais, 177, Bairro dos Estados