Ceia natalina do Restaurante Popular reúne mais de 200 moradores de rua

Por - em 105

Mais de 200 pessoas participaram na noite desta quarta-feira (21) de uma ceia natalina promovida pela Prefeitura Municipal de João Pessoa no Restaurante Popular, localizado no Parque Solon de Lucena. A ceia é realizada pela gestão há seis anos para a população em situação de rua da Capital. O prefeito Luciano Agra participou do evento e falou das metas do Governo Municipal de implantar ainda no primeiro semestre de 2012 todas as unidades que estarão inseridas na política de segurança alimentar da PMJP.

“Já anunciamos o aumento do número de refeições servidas diariamente no Restaurante Popular da Lagoa, passando de mil para 1,2 mil refeições por dia, e até o mês de março do próximo ano queremos estar com toda a nossa estrutura de restaurantes populares e cozinhas comunitárias funcionando amplamente na cidade. Como dizia o sociólogo Betinho, ‘a fome não pode esperar’, ressaltou o prefeito Luciano Agra.

O secretário de Desenvolvimento Social do Município, Lau Siqueira, explicou que a Prefeitura vem adotando nos últimos anos outras ações dentro da política pública do Governo Municipal de atenção à população que vive em situação de vulnerabilidade social e especificamente aos moradores de rua.

Avanços – “Desde 2005 realizamos essa ceia natalina, mas este ano existe uma comemoração maior, porque conseguimos implantar o Centro de Referência Especializado de Assistência Social especificamente para o atendimento à população em situação de rua, o Creas-Pop. E isso foi um grande avanço na nossa política pública de desenvolvimento social”, destacou Lau Siqueira, lembrando que a Prefeitura também é responsável por distribuir cerca de 70 refeições diárias a esse público específico.

Entre outros serviços da PMJP, além do Creas-Pop, o Governo Municipal ainda conta o Sistema de Retaguarda e Acolhida, composto pelo Programa Ruartes; o Centro de Formação Margarida Pereira da Silva; dois abrigos: Manaíra (que possui uma casa para meninos e outra para meninas) Morada do Betinho (que só atende meninos); duas Casas de Acolhida para Crianças e Adolescentes; uma Casa de Passagem e a Casa de Acolhida para Adultos.

As Casas de Acolhida, por exemplo, funcionam como espaços de atendimento a pessoas em situação de vulnerabilidade social, a exemplo dos moradores de rua. Nas Casas, eles passam por um atendimento inicial por parte da equipe técnica, atividades sócio-educativas e pedagógicas e dispõem de livre decisão para permanecerem até serem encaminhados para outros serviços de referência ou saírem quando assim desejarem.

Resgatando vidas – Ivan Maciel, de 43 anos, foi ao Restaurante Popular nesta quarta-feira conferir o cardápio da ceia natalina organizada pela Secretaria de Desenvolvimento Social do Município.  Há três meses está inserido na Casa de Acolhida – Adulta, no bairro de Jaguaribe. Outras vezes já passou pelo local e resolveu voltar às ruas. Agora, diz estar mais forte para resistir à vontade de voltar às ruas e ao consumo de álcool.

“Voltei porque quero mudar de vida. Agora estou mais seguro”, diz ele, ressaltando que a ceia natalina promovida pela PMJP é um momento para que outros moradores possam passar pela mesma experiência de conhecerem os serviços de acolhida disponíveis pelo Governo Municipal. “Pode ser que alguém passe por aqui e até mesmo mude de vida”, comentou.

Amadeu da Silva, de 33 anos, também deixou as ruas, mudou de vida e hoje é educador da mesma Casa de Acolhida onde Ivan está sendo acompanhado. “Já fui menino de rua. Hoje, graças a Deus, consegui meu objetivo. Essa vitória agradeço muito à Casa de Acolhida”, reforça.

A ceia natalina com a população em situação de rua teve a participação do Coral Vozes do São José, formado por integrantes do Projovem Adolescente e profissionais do Programa Ruartes, com a orientação do regente Antônio de Pádua; e ainda da realização de um culto ecumênico celebrado pelo diácono Eduardo, da Paróquia São Rafael, e o pastor Daniel, do Cidade Viva.