‘A cartola encantada’ encerra mostra de teatro na Feirinha de Tambaú

Por - em 34

A ‘III Mostra de Teatro de Rua, Circo e Bonecos’ do projeto Outubro do Teatro encerra no próximo domingo (7), com o espetáculo ‘A cartola encantada,’ da ‘Companhia Mão Molenga Teatro de Bonecos’ de Recife (PE), às 17h, na Feirinha de Tambaú, em João Pessoa.

Até o final do mês ainda acontecem a ‘VII Mostra de Teatro Ednaldo do Egypto’ (8 a 14), ‘IV Mostra de Monólogos do Nordeste’ (17 a 21), ‘XV Festival de Teatro do Estudante’ (22 a 28) e ‘III Aldeia Sesc da Cena Comunitária’ (de 29 de outubro a 1º de novembro).

O Outubro do Teatro é uma realização da Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope) em parceira com o Sesc Paraíba, Universidade Federal da Paraíba/Núcleo de Teatro Universitário, Teatro Ednaldo do Egypto, Companhia Paraibana de Comédia e Fundação Nacional de Arte (Funarte).

A história de ‘A cartola encantada’ mostra uma dupla de artistas – ‘Sapinho’, o maravilhoso mágico, e ‘Heleninha’, a macaquinha apresentadora – que têm seu espetáculo sabotado pelas trapalhadas de um ratão encrenqueiro. Ao realizar um número de mágica, o ‘Sapinho’ se atrapalha e faz surgir um vilão. Depois de roubar a cartola encantada, o malvado decide transformar o teatro em um lixão.

Entre canções originais, números de dança e muita ação, vários personagens como sapinhos, flores e a abelha-investigadora ajudam os apresentadores a salvar o teatro das engraçadas confusões do ratão. Em meio a esse ritmo de ação, números musicais e de mágica, os bonecos se comunicam diretamente com a platéia que pode participar de diversos momentos da encenação.

A encenação – A construção dramatúrgica do espetáculo é direta e simples, não trazendo temas complexos que possam dificultar o entendimento do enredo por parte de crianças muito novas. Em busca de maior comunicação cênica, a linguagem do espetáculo se ajusta à construção do pensamento infantil. As situações e os diálogos foram trabalhados para atrair a atenção também de jovens e adultos.

‘A cartola encantada’ traz ao todo 12 bonecos de vara, luva e boca articulada que ganham vida, falam feito gente, cantam, dançam e ativam na platéia as engrenagens da fantasia.