A voz forte de Daúde encanta o Seis e Meia desta quarta

Por - em 62

Toda a força da mulher brasileira na música popular será ressaltada na edição desta semana do Projeto Seis e Meia, que terá como grande estrela a cantora baiana radicada no Rio de Janeiro, Daúde. Primeira brasileira a ser contratada pela gravadora inglesa Real World Records, que pertencente ao astro internacional Peter Gabriel, Daúde é hoje uma das maiores referências de qualidade da MPB.

A abertura do evento será feita pela cantora paraibana Kalina Kelli, que apresentará o show “Kalina às Claras”, um tributo a Clara Nunes. Os shows acontecem nesta quarta-feira (10), na Praça de Eventos do MAG Shopping, em Manaíra, a partir das 18h30. Os ingressos custam R$ 16,00 (inteira) e R$ 8,00 (estudante) e podem ser comprados antecipadamente ou na hora do show no posto de vendas montado ao lado da bilheteria dos cinemas, no primeiro piso do MAG.

O projeto Seis e Meia é promovido pela Prefeitura de João Pessoa em parceria com a Acorde Produções e tem o patrocínio da Saelpa. O evento ainda recebe o apoio cultural do Ambassador Flat, Empreendimento Villas de Areia, além dos bares e restaurantes Cia do Chopp, Vila Cariri, Botequim Vila São Paulo e Dona Branca.

Conquistando o mundo – Daúde nasceu no Candeal, Salvador e mudou para o Rio de Janeiro aos 11 anos de idade. Estudou canto com o barítono Paulo Fortes na Escola de Música Villa-Lobos e Artes Cênicas na Escola Martins Pena. Formou-se em Letras, Português, Literatura, e é pós-graduada em História Africana.

Começou sua carreira musical cantando em peças teatrais e casas noturnas, quando apareceu o convite para gravar seu primeiro CD ‘Daúde’, em 1995, com o qual conquistou a crítica especializada, ganhando os prêmios Sharp de Música e da APCA (Associação dos Críticos de Arte de São Paulo).

Dois anos depois, lançou ‘Daúde 2’, produzido por Celso Fonseca e pelo inglês Will Mowat. Em 1999, veio ‘Simbora’, um CD de remix onde a artista reuniu músicas de seus primeiros álbuns, tendo como objetivo vincular as novas interpretações ao prazer de dançar. A sonoridade deste CD funde definitivamente a música de Daúde, a MPB e os recursos usados na música eletrônica, afirmando a importância de produtores musicais e DJs como artistas criativos e necessários nesta atual cena musical.
Daúde foi a primeira brasileira a ser contratada pelo selo Real World Records, pertencente a Peter Gabriel. Seu último álbum ‘Neguinha te Amo’ de 2003, homenageou as mulheres e colaborou para que o público internacional tivesse outra visão da música brasileira, transcendendo clichês estabelecidos ou estereótipos tropicais.

No Seis e Meia Daúde vai interpretar sucessos novos e antigos e será acompanhada pelos músicos Di Steffano (bateria) e Clauber Lemos (guitarra,violões e samplers).

Homenagem – A cantora Kalina Kelli já tocou na noite pessoense, mas agora só participa de projetos especiais. Tem voz firme e muito carisma. O samba sempre foi seu gênero musical preferido.

O mais novo projeto da intérprete paraibana tem o objetivo de homenagear a cantora Clara Nunes, falecida há pouco mais de 24 anos. ‘Kalina às Claras’ visa resgatar os maiores sucessos que ficaram imortalizados na voz da inesquecível Clara Nunes, dentre eles: “Canto das Três Raças” (Paulo César Pinheiro/ Mauro Duarte), “Coisa da Antiga” (Wilson Moreira/ Nei Lopes) e Feira de Mangaio (Sivuca e Glorinha Gadelha).

Kalina Kelli será acompanhada por Vinicius de Lucena (violão), Babi (contrabaixo), Poty Filho (cavaco), Jefferson dos Santos (percussão), Alisson Cavalcante (tantã), Max (surdo) e Carlos Moura (pandeiro).