Ação localiza e destrói focos da dengue no Centro de JP

Por - em 39

O Centro da Capital foi alvo de mais uma ‘varredura’ contra o mosquito Aedes aegypti nesta sexta-feira (16). Equipes da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) visitaram 548 imóveis da área, localizando e destruindo focos, neutralizando milhares de criadouros e orientando a população para ser parceira na luta contra a doença. A atividade faz parte da campanha ‘Dengue. Você sabe como combater. Tome uma atitude!’, lançada pela Prefeitura de João Pessoa (PMJP) na quinta-feira (15).

Além das visitas aos imóveis, uma equipe de agentes ambientais se concentrou na Praça Antenor Navarro, distribuindo panfletos a pedestres e motoristas que passavam pelo local. A gerente da Vigilância Ambiental e Zoonoses, Djanira Lucena de Araújo, disse que o local foi escolhido por causa do grande fluxo de pessoas e por ser uma área com um risco maior de proliferação do mosquito.

Locais críticos – “Aqui existem oito grandes sucatas e oficinas de veículos, com uma infinidade de materiais que podem servir de criadouros do mosquito. A cada 15 dias, esses locais são visitados pelos agentes, que fazem o monitoramento constante da área e sempre encontram focos e possíveis criadouros. Além desses pontos críticos, há imóveis fechados. Nos comércios e residências visitados, encontramos calhas que estavam juntando água, recipientes com focos e outras situações diversas”, relatou Djanira.

As equipes, conforme encontravam os problemas, já faziam fumacê costal (ambientes abertos) e termonebulização (técnica feita com ar quente específica para tubos, bocas-de-lobo e outros locais de acesso difícil) e aplicação de larvicidas (em ambientes que podem servir de criadouros e difíceis de ser eliminados, como caixas d’água, ralos de banheiros e outros).

“Nossa preocupação é reduzir a quantidade de mosquitos nessa área, que tem um grande fluxo de pessoas de outros bairros e cidades, para diminuir os riscos de infecção. Destruindo os ovos e as larvas estamos tirando milhares de futuros mosquitos da natureza”, destacou a gerente da Vigilância Ambiental.

Redução – As ações preventivas realizadas constantemente pela Prefeitura de João Pessoa (PMJP) estão evitando surto de dengue na Capital. “Este ano, foram confirmados 184 casos de dengue clássica e apenas um de dengue hemorrágica, felizmente sem nenhum registro de óbito. Só para se ter idéia da redução, de janeiro a maio do ano passado já haviam sido registrados 1.774 de dengue clássica e 24 do tipo hemorrágica. Estamos mudando o foco da ação. O próprio Ministério da Saúde passou anos fazendo campanhas com foco no mosquito adulto. Hoje, a grande preocupação é eliminar os ovos e as larvas e, para isso, não precisa ser especialista ou agente de saúde: qualquer um faz! Todo mundo pode e deve fazer esse combate e impedir o crescimento da população de mosquitos”, disse.

Saiba mais sobre a dengue:

– Elimine os ovos – Cada fêmea coloca em média 350 ovos por procriação e os ovos podem sobreviver até por um ano e meio.
– Elimine as larvas – Não basta só derramar a água dos recipientes. É preciso lavá-los com a água e sabão para acabar com os ovos. Os recipientes que não serão utilizados (lixo) devem ser destruídos.
– Hábito diurno – A fêmea é quem pica e transmite a doença se estiver infectada. Isso geralmente (o mosquito tem grande capacidade de se adaptar a situações diversas) acontece durante o dia. À noite ela descansa!
– Vôo baixo – Acredita-se que o Aedes aegypti voe baixo (em média dois metros de altura). Mas isso não significa que os moradores de prédios altos estão livres de ser picados. O mosquito pode ser transportado em bolsas e outros recipientes ou mesmo subir no elevador.