Agentes da Emlur tiram lixo de rio para evitar enchentes

Por - em 43

Para evitar novas enchentes na comunidade Riachinho, no bairro 13 de Maio, a Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), por meio da Autarquia Especial Municipal de Limpeza Urbana (Emlur), iniciou uma limpeza emergencial do rio que corta toda área. Estão sendo feitos serviços de desassoreamento, remoção do lixo e da vegetação. A comunidade Riachinho foi castigada na madrugada da última quinta-feira (20) pelas fortes chuvas registradas na Capital paraibana.

Mais de 25 agentes de limpeza e duas escavadeiras hidráulicas são usadas na operação. O desassoreamento é feito para retirar o acúmulo de entulho do leito do rio e dar mais fluidez às águas pluviais.

Além dessas ações emergenciais, a Secretaria de Infraestrutura do Município (Seinfra) está realizando um estudo da bacia hidrográfica do rio para redimensionar os dois bueiros circulares (tubos de 800 milímetros) que estão subdimensionados para o grande volume de águas pluviais que passa através deles. Assim que o cálculo de contribuição das águas pluviais for concluído, a Seinfra vai elaborar o projeto, fazer o orçamento e encaminhar para o prefeito da Capital, Luciano Agra.

Na manhã desta sexta-feira (21), o superintendente da Emlur, Coriolano Coutinho, esteve no local e acompanhou todo o serviço realizado pelas agentes de limpeza e máquinas escavadeiras. Segundo ele, foi colocada uma máquina em cada lado do rio para dar vazão às águas pluviais e trazer o rio para o seu leito normal, situação que foi modificada pelas construções irregulares erguidas ao longo de seu percurso. Também compareceram ao local da operação de limpeza, os diretores Francisco Lucas Rangel (Operações) e Noé Estrela (Remoções de Resíduos Sódios, Varrição e Coleta).

Irregularidades – Durante a inspeção, os técnicos da Emlur, da Seinfra e da Defesa Civil constataram que em cima da tubulação de um dos bueiros havia uma construção irregular, que bloqueou a saída da água e contribuiu para o alagamento da área.

Esperamos que os moradores colaborem com o nosso trabalho e não joguem lixo nas proximidades do rio, ressaltou o superintendente da Emlur, Coriolano Coutinho, alertando as comunidades ribeirinhas para os transtornos que o lixo pode causar no período de inverno.

Para a realização do serviço, a Avenida Boto de Menezes teve que ser interditada pela Superintendência de Transportes e Trânsito (STTrans) durante toda esta sexta-feira. A previsão é que a limpeza do rio seja concluída em três semanas.