Agentes de limpeza promovem ação educativa no Parque Solon

Por - em 43

“O lixo também é responsabilidade sua. Faça sua parte, colabore com o agente de limpeza e mantenha a cidade limpa e organizada”. Com esse slogan, a Autarquia Especial Municipal de Limpeza Urbana (Emlur) realizou uma ação educativa e uma operação de limpeza no Parque Solon de Lucena (Lagoa) na manhã desta quarta-feira-feira (12).

A mobilização deu início as atividades em comemoração ao Dia do Agente de Limpeza (16 de Maio). O objetivo da operação foi sensibilizar as pessoas sobre importância social do agente de limpeza para cidade e, também, da responsabilidade que cada um tem com o destino do lixo que produz diariamente.

O evento contou com a participação das equipes de agentes de Limpeza, de Educação Ambiental, do Bem-Estar Social, da Fiscalização, de funcionários do órgão que atuam na sede, além dos grupos culturais da Emlur ‘Baticumlata’, Coral, Teatro e da Oficina de Artes, que fazem parte do Projeto ‘Catadores de Arte’. Atualmente, aproximadamente 600 agentes de limpeza trabalham na Autarquia.

Faixas – Por volta das 9h, grupos de agentes de limpeza ficaram em pontos estratégicos da Lagoa (sinais de trânsito e paradas de ônibus) com faixas informando sobre a ação educativa. Os educadores ambientais e fiscais percorreram os 40 quiosques da área distribuindo panfletos, notificações educativas e tirando dúvidas. Eles orientaram para a necessidade de os proprietários das barracas manterem o local sempre limpo e de acondicionar o lixo de forma correta. Durante a abordagem, os fiscais pediram aos comerciantes para só colocarem os resíduos fora dos quiosques após as 18 horas, horário da passagem do caminhão de coleta.

Os barraqueiros aprovaram a mobilização e pediram mais campanhas como essa ao longo do ano “Uma ação como essa é muito bem vinda, pois deixa o comerciante mais informado e consciente de que precisa manter o seu local de trabalho limpo. Com isso, ganham a cidade que fica sempre limpa, principalmente a Lagoa nosso cartão-postal, e os comerciantes que passam a ter uma clientela maior”, disse Oziel Pereira da Silva, que há três anos é dono de um quiosque na Lagoa.

Uma tenda de apoio também foi armada. No local, a população teve a oportunidade de conhecer de perto o trabalho realizado pelos agentes de limpeza, pela Oficina de Artes e pelos grupos culturais da Emlur. Um painel com fotos mostrava o cotidiano dos agentes na limpeza de ruas, avenidas, praças, cemitérios, rios, canais e mercados públicos. Na tenda também estava sendo distribuído o sabão ecológico feito a partir do óleo de cozinha. Muitas pessoas paravam para pedir mais informações de como fazer o sabão em casa. Mais de três mil panfletos ensinando como fazer o sabão ecológico foram distribuídos pelas equipes da Emlur.

Peças feitas com material potencialmente reaproveitável como plástico, metal, vidro e papelão também chamaram a atenção dos pedestres como foi o caso de Maria Cosme Cardoso da Silva, comerciante, moradora de Mangabeira. Ela ficou encantada com as flores, os bancos e as cadeiras feitas com papelão. “É um trabalho muito bonito. Precisava mesmo ser divulgado para a população”, disse a comerciante.

Assim como dona Maria Cosme, a professora Vera Lúcia gostou da ação desenvolvida pela Emlur. “Acho muito importante essa iniciativa; a população daqui tem que se conscientizar sobre onde colocar o lixo e de como manter a rua limpa”, observou. Segundo Aparecida Pontes, coordenadora da Divisão de Bem-Estar Social a atividade foi além da conscientização sobre o uso correto do lixo no dia a dia das pessoas. “Estamos aqui também para valorizar esses homens e mulheres, agentes de limpeza, que passam o dia varrendo, catando, enfim limpando a nossa cidade e nem sempre são reconhecidos na sua profissão”, disse a assistente social.

Conscientização – Mensagens educativas como ‘Jogue o lixo na lixeira’ ou ‘Não lance lixo pela janela do automóvel ou de ônibus’ eram transmitidas de hora em hora pelo sistema de som montado na tenda. O panfleto educativo distribuído dava dicas básicas para manter a cidade limpa e informava sobre o tempo de durabilidade do lixo quando jogado fora de forma inadequada.

O superintendente da Emlur, Deusdete Queiroga Filho, participou da mobilização e falou da importância do evento para mostrar a responsabilidade que cada um tem em colaborar com a limpeza e organização da cidade. “Com esta ação estamos informando à população sobre os transtornos que o lixo mal acondicionado traz ao meio ambiente e à saúde das pessoas. Também estamos fazendo uma homenagem aos agentes de limpeza, peças importantes no funcionamento da cidade”, explicou. Na ocasião, o grupo de teatro da Emlur encenou um esquete rápido e em seguida houve apresentações do Coral e do Baticumlata.

As atividades em comemoração ao Dia do Agente de Limpeza continuam até o final do mês. Na sexta-feira (14), das 13 às 17 horas, a Emlur vai promover atendimento de saúde e beleza para os agentes de limpeza. Serão oferecidos serviços de verificação de pressão, glicemia, teste rápido de HIV, imunização contra o tétano e a influenza comum, orientação nutricional e coleta de citológico. Também serão realizados cortes de cabelo e a distribuição de kit de higiene bucal. No domingo (23), será realizada a festa em homenagem ao dia do Agente de Limpeza. A celebração será realizada no Centro Administrativo Municipal (CAM) a partir das 8 horas.

Limpeza da Lagoa – Paralela a ação educativa, a equipe de Aquática da Emlur, formada por 18 agentes de limpeza, passaram a manhã retirando a vegetação dos bancos de areia que ficam dentro da Lagoa. Para a operação, os homens utilizaram um barco e ferramentas manuais. Também foram feitos serviços de pintura de meio-fio, roço e catação na área externa e interna do Parque Solon de Lucena.

Dia do Agente de Limpeza – O ‘Dia do Gari’ é comemorado no dia 16 de maio no Brasil. Em algumas cidades, esses profissionais passaram a ser chamados de agentes de limpeza, caso de João Pessoa. O nome gari é uma homenagem ao francês Aleixo Gary, que se destacou na história da limpeza da cidade do Rio de Janeiro durante o segundo reinado. Em Portugal, os garis eram conhecidos como Almeida, em homenagem ao diretor-geral da limpeza urbana de Lisboa.