Agentes de saúde debatem plano contra dengue em locais de risco

Por - em 24

A elaboração do Plano de Ações e Metas de Combate à Dengue para 2010 em áreas consideradas de maior risco, como sucatas, borracharias e cemitérios, foi discutida na manhã desta terça-feira (24), na Secretaria Municipal de Saúde (SMS). Participaram da reunião os agentes comunitários de saúde, apoiadores de Distritos Sanitários, agentes de pontos estratégicos e demais responsáveis pelo controle de vetores do Município.

O objetivo da reunião foi elaborar o plano de ações para o próximo ano a partir das experiências dos agentes que atuam diretamente no controle da proliferação da dengue em áreas estratégicas. De acordo com a gerente de Vigilância Ambiental e Zoonoses, Djanira Lucena, nesses locais específicos o controle fica mais complicado por conta da grande quantidade de material estocado diariamente, principalmente nas sucatas. “A partir desses locais de difícil controle, o mosquito se espalha para outras áreas da cidade”, frisou a gerente, lembrando que, se necessário, será solicitado o auxílio da Secretaria de Meio Ambiente, Emlur e Ministério Público.

Djanira Lucena lembrou que é preciso atuar diretamente na conscientização dos proprietários desses locais, uma vez que a grande quantidade de entulho facilita a armazenagem de água parada e a consequente proliferação do Aedes Aegypti. “É preciso entender que a prevenção da dengue é uma responsabilidade de todos os cidadãos, e não só do poder público”, disse a gerente.

Plano de Contingência – O Plano de Contingência da Dengue para 2010 foi definido no último mês de outubro. O objetivo geral é evitar a ocorrência de óbitos por dengue, prevenir e controlar processos epidêmicos e manter os baixos índices de infecção registrados em 2009. De acordo com último boletim divulgado em 19 de outubro, das 248 notificações de casos suspeitos, apenas 102 (41,1%) foram confirmados como dengue clássica. Não foi registrado nenhum caso de dengue hemorrágica ou complicações decorrentes da doença, numa queda de 88,2% nas notificações em relação ao mesmo período do ano passado.