Agentes do Aterro Sanitário recebem novos fardamentos

Por - em 34

Os 150 agentes ambientais que trabalham na separação de material reciclável nas esteiras instaladas no Aterro Sanitário Metropolitano receberam fardamentos novos nesta quinta-feira (6). Para cada um deles, a Autarquia Especial Municipal de Limpeza Urbana (Emlur) entregou um kit, contendo duas camisas e duas bermudas e itens de segurança, como botas, luvas e máscara. Ao todo foram entregues 300 conjuntos verde e branco, cores que caracterizam os uniformes dos agentes ambientais.

Durante a solenidade de entrega dos fardamentos, os agentes ambientais foram orientados sobre como devem ser usados esses kits e os cuidados com as peças. Também foi chamada a atenção para a necessidade de usar os itens de segurança. “A bota serve para que eles não machuquem os pés e não contraiam doenças; as luvas protegem as mãos e as máscaras servem para que não inalem as substâncias liberadas pelos resíduos”, explicou o diretor de Operações, Orlando Soares.

Já a superintendente da Autarquia, Laura Farias Gualberto, destacou a importância para o meio ambiente e para a saúde da população do trabalho que os agentes ambientais desenvolvem. “O agente é de extrema importância, uma vez que evita que material reciclável vá para o aterro. Com a separação, eles estão contribuindo para o aumento da vida útil do aterro e ainda evitam que novas matérias primas sejam extraídas”, ressaltou.

A agente de limpeza Josefa dos Santos foi a primeira a receber o fardamento novo. Ao pegar o seu kit, ficou curiosa e foi logo abrindo para saber do que era composto. “Eu vou usar tudinho que tem aqui dentro para ficar protegida”, comentou, enquanto olhava se a camiseta era do seu tamanho. “Vai ficar muito bonitinho em mim”, disse. A mulher contou que há 27 anos trabalha com coleta seletiva e que há três anos está atuando nas esteiras mecânicas do Aterro Sanitário Metropolitano. Ela destacou a importância do trabalho que desenvolve e afirmou que gosta muito do que faz. “O dia que eu não venho trabalhar fico triste”, revelou.