Agra determina instauração de procedimento interno para apurar denúncias

Por - em 59

O prefeito de João Pessoa, Luciano Agra, determinou na tarde desta quarta-feira (28), a instauração de procedimento interno na Controladoria Geral do Município, a fim de analisar em detalhes o contrato da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) com a empresa Ideia Digital, responsável pela instalação técnica do projeto Jampa Digital.

O objetivo é apurar os problemas de ordem técnica que justifiquem o não funcionamento do projeto em algumas áreas da Capital. No ofício assinado pelo prefeito, é solicitado que ao final da análise seja feito um relatório circunstanciado e enviado ao seu gabinete.

Luciano Agra também enviou ofícios destinados ao Tribunal de Contas da União, (TCU), Controladoria Geral da União (CGU), Tribunal de Contas do Estado (TCE), Ministérios Públicos Estadual e Federal, colocando a Prefeitura de João Pessoa à disposição desses órgãos para qualquer esclarecimento relativo ao Jampa Digital.

A instauração do procedimento interno é mais um ato da gestão no intuito de apurar se as denúncias feitas em um programa de TV sobre o mau funcionamento do projeto implantado na Capital têm fundamento. Na segunda-feira (26), o prefeito já havia determinado a suspensão temporária do contrato com a empresa, para que esta venha à Capital paraibana prestar esclarecimentos sobre os problemas de ordem técnica identificados. Na terça-feira (27), secretários municipais foram à Câmara de Vereadores debater o assunto em audiência pública.

Programa – O Jampa Digital é um programa executado pela Prefeitura de João Pessoa em parceria com o Governo Federal e prevê a oferta de serviços de internet em 23 unidades administrativas, 20 pontos de internet pública, 65 pontos em Unidades de Saúde da Família e em 133 escolas e creches, 33 unidades de Desenvolvimento Social, oito estações digitais, 10 estações de rádio base e 36 câmeras de monitoramento.
Vale lembrar que o projeto está em pleno período de implantação, com previsão para conclusão até o mês de outubro, conforme contrato estabelecido com o Ministério da Ciência e Tecnologia.