Agra pede reforço na ronda escolar e anuncia monitoramento eletrônico

Por - em 45

O prefeito Luciano Agra recebeu na tarde desta quarta-feira (14) a cúpula da Segurança Pública da Paraíba, representantes da Guarda Municipal e da Secretaria de Educação de João Pessoa (Sedec) para solicitar reforço na ronda escolar. Além do reforço policial, o prefeito pretende instalar equipamentos eletrônicos para monitorar a área externa nas unidades de ensino. A reunião aconteceu no gabinete, no Centro Administrativo Municipal (CAM), em Água Fria.

“Vamos utilizar todo o arsenal disponível para ajudar na segurança das escolas. Queremos tranquilizar funcionários, alunos e professores que não há qualquer clima de insegurança no ambiente escolar”, ressaltou o prefeito. Luciano Agra exigiu que as medidas de segurança fossem adotadas com a máxima brevidade.

Dentre as medidas a serem adotadas para evitar o clima de insegurança nas escolas, Luciano Agra propôs qualificar a informação que a Sedec repassa para a polícia. “A Prefeitura Municipal de João Pessoa quer implementar a estratégia de enfrentamento à criminalidade nas escolas. Temos que defender o perfeito funcionamento das instituições de ensino. Atualmente, cerca de 95% dos chamados de violência nas escolas são falsos. Com o monitoramento eletrônico poderemos repassar informações mais precisas e qualificadas à polícia”, afirmou o prefeito.

Em mais de 80% das unidades escolares da rede municipal já existem algum tipo de alarme eletrônico. “Há três bairros (Alto do Matheus, Cruz das Armas e Novais) que são considerados mais problemáticos, mas, além das medidas de segurança, quero ressaltar que é importante promover a cultura de paz dentro das escolas”, afirmou Ariane Sá, secretária da Sedec.

O secretário de Segurança Pública da Paraíba, Cláudio Lima, esteve presente na reunião e ressaltou a importância da patrulha escolar para a segurança nas instituições de ensino. “Esses boatos de invasões trazem um clima de insegurança. Vamos trabalhar com o que de fato existe  e para isto já pedimos à Sedec uma relação dos locais mais críticos e das escolas que funcionam à noite para reforçarmos o policiamento”, assegurou.