Agricultoras fazem curso de artesanato em fibras naturais

Por - em 24

Quinze agricultoras das comunidades de Engenho Velho, Paratibe, Guruji II, Jacarapé participam a partir de hoje do treinamento “Artesanato em Fibras Naturais” promovido pelo programa Cinturão Verde, da Prefeitura de João Pessoa. O curso, com duração total de 40 horas, encerra-se na próxima sexta-feira (20) e está sendo realizado na Associação Agrícola do Engenho Velho, das 13h às 17h.

As alunas vão trabalhar com a fibra da bananeira, aprendendo a transformar o material em produtos como jogos americanos, pastas, bolsas e até luminárias. A ideia é acrescentar mais uma alternativa de renda ao dia-a-dia das famílias de beneficiários do Cinturão Verde. O curso será ministrado por Maria do Carmo de Oliveira, da Associação de Artesanato de Sousa.

De acordo com a coordenadora do curso, a designer Késia Veiga, desde 2008 o Cinturão Verde vem trabalhando com a cultura da bananeira. “Primeiro foram ensinadas as melhores técnicas de plantio. Depois realizamos uma capacitação para a área de alimento, com a produção, por exemplo, de doces e de bolos de casca de banana. E, agora, para fechar o ciclo da bananeira, estamos realizando um curso de artesanato”.

Ela explica que a fibra utilizada na confecção dos produtos é retirada do caule da bananeira, que geralmente é jogado fora depois da colheita da fruta. Ensinar os pequenos agricultores a aproveitar todos os materiais das várias etapas de produção, gerando mais renda, é uma das políticas de ação do programa Cinturão Verde, que investe na sustentabilidade para garantir o desenvolvimento.

O treinamento que acontece esta semana é resultado de uma parceria do programa com o Sebrae e com a Scientec (Associação para o Desenvolvimento da Ciência e da Tecnologia). As peças produzidas durante o curso serão levadas para comercialização no ônibus-feira de produtos agroecológicos, que funciona sobre a coordenação da Associação de Produtores Agroecológicos de João Pessoa (Prohort) e atualmente atende a três bairros da Capital (Manaíra, Tambaú e Bairro dos Estados) e a Intermares, em Cabedelo.

O trabalho das agricultoras também será exposto no próximo “Dia de Campo” do programa, marcado para 31 de agosto. O evento terá como tema “Tecnologias Sustentáveis em Assentamentos da Reforma Agrária” e acontecerá no assentamento Guruji II, no município do Conde.