Alunas do Peti se preparam para Sul-americano de Judô em junho

Por - em 35

O Campeonato Sul-Americano de Judô, que acontecerá no dia 25 de junho, na cidade de Buenos Aires, na Argentina, vai ter representantes paraibanos. Em fevereiro, Flávia Maria da Silva Nascimento e Juliane Mayara, ambas com 15 anos, conseguiram a classificação para disputar na categoria sub-17, e faltando menos de dois meses para o embate, as duas estão treinando em ritmo acelerado, seis vezes por semana. As atletas fazem parte do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (Peti), que é gerenciado pela Prefeitura de João Pessoa (PMJP) e estão cursando a 8ª série da Escola Municipal Cícero Leite.

A pouco mais de um mês para embarcar elas garantem que vão fazer o melhor para trazer uma medalha para o Brasil. Flávia, que vai para Buenos Aires como titular da Seleção Brasileira de Judô, e Juliane, que conseguiu a vaga de reserva, treinam na Escola de Judô Shintai-dô, no bairro do Valentina Figueiredo, que é coordenada por Esmeraldino de Albuquerque.

A instituição sobrevive de doações e do apoio da Prefeitura de João Pessoa. Os serviços oferecidos são gratuitos. A única obrigação dos alunos é manter-se com boas notas na escola, ter vontade de aprender e muita disciplina nos treinamentos.

“Eu nunca pensei que pudéssemos chegar tão longe. Eu sabia da garra destas meninas, mas não poderia prever que em tão pouco tempo estaríamos classificados para uma competição internacional. Esse é o resultado do nosso trabalho que é realizado com muito amor e força de vontade com base nos princípios da educação, disciplina e saúde”, comemorou Esmeraldino. Ele ainda acrescentou que a parceria com a PMJP é fundamental para o sucesso das atletas.

“Não temos dinheiro para bancar a participação dos nossos atletas nos campeonatos, só conseguimos graças ao apoio que a prefeitura tem nos dado. Essa parceria é muito importante para o nosso sucesso e esperamos que tantas outras pessoas e empresas vejam que o nosso trabalho é verdadeiro e que está ajudando muitas crianças”, enfatizou Esmeraldino.

Para as atletas Flávia e Juliane, o esporte significa transformação e uma chance de um futuro melhor. “O judô agora faz parte de nossas vidas e queremos continuar treinando para que a gente consiga conquistar os nossos sonhos. A nossa meta é fazer do esporte a nossa profissão”, afirmaram. Quanto à disputa do sul-americano, em Buenos Aires, elas são enfáticas. “Já somos vitoriosas”.