Alunos aprovam qualidade da merenda escolar servida na rede municipal

Por - em 285

A Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) investe mais de R$ 1,1 milhão por mês na merenda escolar, servindo mais de 903 mil pratos de refeição nas escolas e nos Centros de Referência Infantil (Creis), com 40 opções de cardápios que se alternam a cada 20 dias. De acordo com uma pesquisa realizada pela SP Alimentos, empresa contratada pela PMJP para preparação da merenda servida na rede pública da Capital, mostra que o cardápio, as equipes e o manejo dos alimentos são aceitos em 90% da rede municipal de ensino.

“Eu gosto muito da merenda. É saborosa, saudável e feita com carinho. Eu sempre repito”. A afirmação é de Íris Pereira Cardoso, de 10 anos, aluna da Escola Municipal Afonso Pereira da Silva, localizada no conjunto Cidade Verde. A mãe da criança, a dona de casa Rozete Pereira da Silva, conta que sempre pergunta à filha como foi a merenda do dia. “Eu preciso saber se ela está se alimentando bem no ambiente escolar. E toda vez que questiono, Ísis diz que alguns pratos são melhores do que os servidos em nossa casa”, relata a mãe.

Regina Francelino da Conceição, que também é dona de casa, diz que a vontade que tem é de acompanhar os três filhos e fazer as refeições na escola todos os dias. “Moro na rua da unidade escolar que meus meninos estudam e quando começa a ser preparado o lanche sinto logo o cheiro. Como não posso comer, espero o trio chegar em casa para descobrir qual foi o cardápio”.

A diretora da Escola Afonso Pereira, Maria das Graças Madruga Freire, coordena 987 alunos. Ela afirma que a merenda escolar tem um acompanhamento por parte da Secretaria de Educação e Cultura (Sedec). “Seguimos orientação da Sedec. Quinzenalmente são avaliados vários itens da merenda, desde a quantidade que foi servida até o comportamento dos funcionários na hora da entrega dos lanches”.

Merendeira há quatro anos da Escola Anayde Beiriz, situada no Bairro das Indústrias, Ednalva Rodrigues Fernandes confessa que fica feliz e motivada quando vê as crianças se alimentando. “Nesse tempo em que estou aqui já presenciei muitos estudantes, principalmente os mais carentes, dizendo que há muito tempo não comiam tão bem”.

O diretor Marcos Antônio de Freitas é o primeiro a comer o lanche que é servido na escola. “Temos 1.800 alunos e não posso decepcioná-los. Aqui os conscientizamos que resto de comida no prato faz falta para outro aluno. Por isso perguntamos antes de servir se ele quer muito ou pouco. O que sobra no prato não podemos obrigá-los a comer”, fala o diretor.

Na escola Luiz Vaz de Camões, no bairro de Mangabeira IV, a realidade não é diferente. As amigas Emlily Estefany e Tayane Maria, ambas de 12 anos, só brincam depois do lanche da tarde. “Todos os dias é assim. Nós saímos para o recreio, nos alimentamos bem e só depois vamos nos divertir”.

O aluno Iguiberto Lucas do Nascimento, de 10 anos, diz que todos os dias come na escola. “Minha mãe trabalha e quando chega em casa ainda vai fazer o jantar”, confessa Lucas, que durante a entrevista já estava no segundo prato de canja de galinha.

Josileide Araújo Lemos é merendeira e revela a alegria que sente quando os alunos terminam de comer e vão agradecer. “É uma merenda muito boa. Tem carne e frango. Aqui nunca recebemos uma reclamação da merenda. Pelo contrário, recebemos elogios e agradecimentos dos alunos”, confessa Josileide.

A diretora Francisca Marinete da Silva Gonçalves conta que a aceitação na escola é ótima e revela qual a merenda preferida dos alunos. “Temos um cardápio bem diversificado. Cada dia é servido um prato diferente. No dia do cachorro quente temos que fazer segurança ao redor da cozinha”, brinca a diretora.

Nutrição – Segundo a coordenadora de Alimentação Escolar Municipal, Simone Leite Gouveia de Figueiredo, a merenda escolar oferece 40 opções de cardápios que se alternam a cada 20 dias. Eles são compostos de frutas in natura, sucos, salada de frutas, preparações regionais como cuscuz, baião de dois, macaxeira, batata doce, canjica, além dos mais aceitos como cachorro quente, sanduíche com queijo, iogurte com biscoito, entre outros.                                                           

Os cardápios são previamente elaborados pelas nutricionistas da Sedec e enviados à Empresa SP Alimentação, bem como apresentados ao Ministério Público todo dia 25 do mês anterior de sua execução.

“O município de João Pessoa possui quatro nutricionistas: Luciana de Oliveira Lira Rique, Geovanna Torres de Paiva Bandeira, Tatiana Vieira dos Santos Melo e Ana Julia Fernandes Venâncio, além de 68 supervisores de alimentação que nos mantêm informados através de relatório quinzenal com registros diários da situação das unidades de ensino. Neles constam as avaliações qualitativas e quantitativas da merenda”, revela a Simone Leite.

Diariamente, os alunos da rede municipal consomem 20% das necessidades nutricionais nas escolas de tempo tradicional. Já nas escolas de tempo integral eles consomem 70%, o que equivale a três refeições diárias. Esse índice é recomendado pelo Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE).

Pesquisa – A merenda escolar, as equipes e o manejo dos alimentos são aceitos em 90% da rede municipal de João Pessoa, segundo pesquisa realizada este ano pela empresa SP Alimentos. As perguntas da foram respondidas pelos próprios diretores das escolas.

Entre os itens avaliados estão a qualidade da merenda, que teve 83% de aceitação; a qualidade das preparações, 94%;  equipe de merendeiras, 97%; variedade do cardápio, 71%; higienização das cozinhas, 90%; pontualidade da distribuição, 90% e nutricionistas, 98% de aprovação.