Alunos da rede municipal recebem atendimento médico na escola

Por - em 296

Os alunos da Escola Municipal Padre Pedro Serrão, localizada no bairro do Cristo, tiveram uma tarde diferente esta semana. Eles foram atendidos pelo Programa “Saúde do Estudante”, da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), executado por meio da Secretaria de Educação e Cultura (Sedec).

Os estudantes passaram por exames oftalmológicos e otorrinolaringológicos.  As ações do programa são executadas dentro das unidades de ensino. Os médicos e a ótica levam seus equipamentos e equipes para os espaços distribuídos nas escolas.

O aluno do 9º ano, Richard Matheus Almeida da Silva Rocha, 14 anos, já usa óculos e sabe que é preciso se prevenir. “Se nós não nos cuidarmos, poderemos ter problemas no futuro quando formos adultos. É ótimo esse trabalho de prevenção”.

Para a recepcionista atendente Dyane Dayse, a iniciativa é de extrema importância, já que muitas crianças nunca fizeram um exame de vista. “Já tivemos casos de alunos precisarem usar óculos de grau seis. A cada dez alunos avaliados, três precisam usar óculos”, falou.

Ericleide Silva, mãe de Maria Jenifer, de 7 anos, aluna do 2º ano, disse que o atendimento na escola é muito importante porque muita gente não tem condições financeiras para pagar exames de vista. “É um tratamento caro e aqui nós temos tudo de graça. Se for preciso usar óculos, o aluno não precisa pagar nada”.

Outra etapa da ação é o exame auditivo. É feita uma autoscopia e caso seja encontrado cerume no ouvido é feita a remoção e o paciente é encaminhado para fazer a triagem audiométrica. Se for detectada alguma inflamação, o aluno é conduzido para o pronto atendimento para ser feito o tratamento.

“Às vezes a criança passa o tempo todo no colégio e não tem um rendimento escolar satisfatório. Quando é feito o exame, descobrimos que é um simples cerume no ouvido o que causa uma perda auditiva e a deixa dispersa”, explicou o otorrinolaringologista Antônio José de Carvalho.

No exame de fonoaudiologia, o aluno é avaliado para detectar algum problema auditivo. “Um dos casos comuns de aparecer é o de otites, que é aquele problema de entrar água no ouvido, mas que com tratamento a audição volta ao normal”, complementou a fonoaudióloga Maraize Albuquerque.

O Programa “Saúde do Estudante” atende as 94 escolas da rede municipal de ensino, totalizando 10 mil alunos para exames oftálmicos e 8 mil alunos para otorrinolaringológicos. Os exames seguem até o mês de setembro.