Alunos do Peti participam do projeto ‘Leitura para a Cidadania’, neste sábado

Por - em 31

Os alunos do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (Peti), desenvolvido pela Prefeitura de João Pessoa (PMJP), participam durante toda a manhã deste sábado (1º) do projeto ‘Leitura para a Cidadania’, na modalidade Livro Vivo. O evento acontece no Centro Cultural Piolin, localizado no bairro do Roger.

Na programação haverá apresentações culturais de grupos musicais e de teatro, exibição de filmes, contação de histórias, pintura em rosto e a distribuição de kits de leitura com seis livros infantis: ‘Brincando com provérbios populares’, ‘O negrinho do pastoreio’, ‘Brincando com adivinhas’, ‘Mani, a origem da mandioca’, ‘O menino, seu avô e a árvore da vida’ e ‘Clara-como-o-sol, Escuro-como-a-noite’.

Este projeto, que é uma iniciativa da Editora Paulus junto com a Secretaria de Desenvolvimento Social, tem como objetivo incentivar a leitura e contribuir para a promoção social de crianças e adolescentes em situação de risco, através da distribuição de livros paradidáticos e de ações que terão continuidade com os professores e educadores. A PMJP e o Serviço Social do Comércio (Sesc) apóiam o projeto na Capital.

O secretário de Desenvolvimento Social, Alexandre Urquiza, explica que a parceria entre a editora e a Prefeitura começou no ano passado, durante a realização da segunda edição do ‘Dia de Brincar’. “Montamos uma tenda onde as crianças tinham a oportunidade de ler e ouvir histórias. Na ocasião, recebiam um kit com 6 livros paradidáticos. Neste ano, ampliamos esta parceria com a capacitação de 50 educadores do Peti, realizada entre os dias 13 e 17 de outubro, onde o grupo teve a oportunidade de reciclar seus conhecimentos sobre técnicas de leitura, interpretação, contação de histórias e confecção de livros”.

Segundo a coordenadora do projeto, Ana Katarina Souza de Farias, o Livro Vivo é desenvolvido no Brasil desde 2006 e hoje acontece em 42 cidades do Brasil, sob a coordenação das 29 livrarias Paulus distribuídas pelo país. “Ao todo o projeto oferece à sociedade quase 2 milhões de livros infanto-juvenis por ano”, destacou.