Alunos do Peti visitam Museu da Abolição em Recife nesta terça

Por - em 27

Crianças e adolescentes do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (Peti) do Centro Livre Meninada I (CLM I) visitam nesta terça-feira (23) o Museu da Abolição, localizado no bairro da Madalena, em Recife, Pernambuco. O objetivo é proporcionar uma aula de campo aos meninos e meninas atendidos pelo programa, aproximando-os da história, buscando despertar não só a reflexão, mas também a emoção. A atividade alusiva ao mês da Consciência Negra integra o Projeto Trama da Cor, que busca durante todo ano trabalhar dentro do CLM I questões como preconceito, racismo, identidade.

A coordenadora do núcleo, Catarina Arruda, explica que a intenção é associar situações  do passado e do presente, indagações a respeito do racismo, violência, escravidão, abolição, do abuso sexual e principalmente do trabalho infantil. “Não é uma tarefa fácil combater  e mudar a mentalidade das pessoas, mas aos poucos vamos mostrando que é possível, buscando valorizar e respeitar as contribuições trazidas pelo povo negro, formando assim a diversidade não só cultural, mas a humana que deu origem à identidade brasileira”.

De acordo com Catarina, o Trama da Cor é baseado na lei 10.639, de 9 de janeiro de 2003, que estabelece a obrigatoriedade da inclusão da temática “História e Cultura Afro-Brasileira” no currículo oficial da rede de ensino e no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), no que se refere ao direito à igualdade. “Em novembro do ano passado, promovemos o I Seminário Trama da Cor com as crianças e adolescentes do Centro e das escolas do bairro. Durante o evento, destacamos as contribuições do povo negro na nossa cultura e os levamos para visitar a comunidade quilombola Caiana dos Crioulos, em Alagoa Grande. Foi muito interessante esta vivência e a integração que a capoeira promoveu entre os dois grupos”.

Durante todo o mês, o Centro Livre Meninada I  realizou uma série de atividades lúdicas, exibições de documentários, interpretação de músicas e leitura de textos para reforçar o conhecimento acerca do tema. Todas as ações contaram com a colaboração dos educadores Ana Flávia, Clareana, Verônica, Gilmar e Nilda.

Museu da Abolição – O antigo Sobrado da Madalena, ex-moradia de uma das figuras mais importantes de Pernambuco, o conselheiro e abolicionista João Alfredo, é o lugar perfeito para se contar a história da escravidão no Brasil. Não é por menos que lá, no imponente palacete, está localizado hoje o Museu da Abolição – único no país a contemplar esta parte da história negra.

O sofrimento passado pelos negros no Brasil, durante o longo período da escravidão, está representado no acervo através de peças de torturas usadas pelos feitores. O museu também é um centro de referência da cultura afro-brasileira, pois abre espaço para manifestações culturais dos negros e seus descendentes. Todos os anos, no dia 13 de maio (aniversário da abolição da escravatura), o museu promove um concurso de fotografia relacionado ao tema.