Alunos visitam Oficina de Artes e aprendem sobre reciclagem

Por - em 38

Os alunos da 1ª série da escola Viver e Aprender, localizada no bairro do Bessa, visitaram na manhã desta terça (11) a sede da Autarquia Especial Municipal de Limpeza Urbana (Emlur), para conhecer um pouquinho do trabalho que é desenvolvido pela Oficina de Artes. Na mesma oportunidade, o grupo pôde descobrir mais sobre a preservação do meio ambiente, redução de consumo, reutilização de materiais e reciclagem.

Durante a visita, os estudantes aprenderam como se faz arte utilizando materiais que antes iam para o lixo. O trabalho é desenvolvido pelos artesãos e artistas plásticos da Oficina de Artes da Emlur, que reaproveitam materiais para fazer objetos de decoração e utensílios. Os garotos ficaram maravilhados com as peças, entre elas brinquedos, que podem ser feitos através do plástico, papel, metal e vidro. Depois de ver o trabalho, os pequeninos disseram que, a partir de agora, iriam fazer a separação de lixo dentro das suas casas.

Os pequenos visitantes ainda participaram de uma sensibilização sobre educação ambiental. Os educadores do Departamento de Valorização e Recuperação dos Resíduos Sólidos (Devar) levaram informações aos estudantes sobre práticas que podem ser adotadas como forma de tornar a cidade mais limpa e bonita e ainda cuidar do meio ambiente. Outro ponto abordado pelos técnicos é o conceito dos três ‘Rs’, que consiste em reduzir o consumo, reutilizar os materiais e ainda promover a reciclagem.

A professora Bianca Rocha, que acompanhou os estudantes no passeio, informou que a visita serviu para que os alunos aprendessem um pouco mais sobre a preservação do meio ambiente e a reciclagem. Ela contou que constantemente são trabalhados dentro da instituição de ensino temas diferentes com os alunos. “Ficando só dentro da sala de aula eles não aprendem direito, por isso, sempre realizamos essas visitas”, informou.

O estudante Marcelo Melo, de 7 anos, disse que “adorou” o passeio e que ficou impressionado com o que pode ser feito do material que as pessoas jogam no lixo. Ao final da visita, o menino disse que aprendeu uma lição: “nem tudo que se joga fora é lixo”. A aluna da 1ª série, Taísa Tomás, também de 7 anos, contou que achou a visita “muito interessante”. Para a garota, o que mais lhe chamou atenção foi um anjo que é todo feito de lacre de lata de refrigerante, papelão e garrafa pet. “É tudo feito com tampinha da latinha de cerveja. Ficou lindo”, disse, admirando a peça.