Anestesiologistas suspendem greve marcada para esta segunda-feira

Por - em 26

Durante encontro com a secretária municipal de Saúde de João Pessoa, Roseana Meira, representantes da Cooperativa dos Anestesiologistas da Paraíba decidiram suspender a paralisação que fariam a partir desta segunda-feira (27). Os profissionais vão esperar o resultado de uma reunião agendada entre os secretários de Saúde do Estado e do Município, que acontece às 17h de segunda-feira.

Os representantes do Conselho de Secretários Municipais de Saúde (CONSEMS/PB), Sindicato dos Médicos, Hospital Napoleão Laureano, cirurgiões cardíacos dos hospitais Dom Rodrigo e Santa Paula, anestesiologistas do Santa Paula, Cooperativa dos Anestesiologistas e diretoria de Regulação e Atenção à Saúde da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) decidiram tentar equacionar o problema do repasse de verbas da Secretaria Estadual de Saúde (SES) em uma reunião marcada com o titular desse órgão, José Maria de França, na segunda-feira (27).

A reunião desta sexta-feira foi motivada pelo falta do repasse de verbas pactuadas em 2007, em que a SES remanejaria mensalmente R$ 93.360,00 e por causa do comunicado da Cooperativa dos Anestesiologistas, que pretendiam entrar em greve e não mais fazer cirurgias eletivas nos hospitais Laureano e São Vicente. “Queremos resolver este problema para não prejudicar as pessoas que precisam dos procedimentos”, comentou Roseana.

De acordo com Roseana Meira, em 2007 foram firmados dois acordos entre as secretarias de Saúde do Estado e do Município, acordos esses que estavam sendo cumpridos até o mês de fevereiro deste ano. “Em março, paramos de receber estes recursos acordados com o Estado, e por isso não temos condições de repassar todo os recursos para os hospitais”, esclareceu a secretária municipal.

Em 2007 foram firmados dois acordos em que a SES se comprometeu a remanejar R$ 93.360,00, para que a SMS repassasse para o pagamento dos anestesiologistas dos hospitais Napoleão Laureano e São Vicente e cirurgias cardíacas e anestesiologia nos hospitais Santa Paula e Dom Rodrigo.

Em contrapartida aos recursos da SES, a SMS contrataria mais profissionais para cirurgias vasculares e neurológicas no Hospital São Vicente de Paula, ampliação do teto para cirurgias cardíacas no Dom Rodrigo, de leitos de U.T.I. e exames ligados a cirurgias cardíacas. “Tudo que acordamos foi atendido e também estava sendo cumprido até o mês de fevereiro pela SES”, comentou Roseana.

No acordo assinado em julho de 2007, a SES se comprometeu em repassar R$ 62.200,00 mensais para os trabalhos realizados pelos anestesiologistas nos hospitais Santa Paula, Dom Rodrigo, Napoleão Laureano e São Vicente, com uma contrapartida da SMS de R$ 13.760,00. Já no documento assinado em setembro de 2007, a SES se comprometera em repassar 50% do valor global (R$ 64.320,00) de procedimentos realizados no Santa Paula e no Dom Rodrigo, ou seja, R$ 32.160, com o que o valor total do acordo fica em de R$ 93.360,00.