Anexo da Estação Cabo Branco comporta cinco novos auditórios

Por - em 21

A Estação Cabo Branco – Ciência, Cultura e Artes, patrimônio dos paraibanos, vai ganhar um novo espaço arquitetônico multidisciplinar, com a finalidade de atender à crescente diversidade das atividades praticadas no local. A obra já foi licitada e a ordem de serviço assinada pelo prefeito de João Pessoa, Luciano Agra. A Secretaria de Planejamento do Município (Seplan) informou detalhes do projeto desenvolvido pela equipe de arquitetos do órgão. Entre outros, serão incorporados novos auditórios que atenderão a um público de 455 pessoas, sendo dois com 76 lugares, um para 67 e outros dois para 118 lugares.

O novo prédio anexo será composto por três pavimentos, distribuídos em pavilhão para exposições, auditórios, setor administrativo, restaurante, estacionamento, entre outros setores. “Todo o empreendimento segue a proposta de acessibilidade e os padrões internacionais de controle de umidade e climatização. É uma obra que, além de tudo isso, respeita as normas ambientais”, frisou Marcelo Cavalcanti, Coordenador da Unidade Executora Municipal (UEM), da Seplan.

Todo o projeto da obra que será realizada pela Prefeitura de João Pessoa (PMJP) foi planejado com base na Lei Ambiental. Em toda a edificação foi prevista a preservação de uma área de vegetação nativa, encontrada na região, objetivando manter intactas as espécies arbóreas.

Nas especificações do projeto, o pavilhão terá um espaço coberto e um pavimento térreo, projetado, prioritariamente, para abrigar exposições técnicas, científicas e culturais, que tenham painéis, esculturas de pequeno e grande porte, equipamentos de diversas tecnologias e áreas da ciência. Este pavilhão de exposições terá uma área de 1.146,10m².

Outra melhoria a ser implantada é o restaurante, já que estudos da administração relevaram que muitas das pessoas que trabalham e frequentam a Estação permanecem no local nos dois horários. Por isso, a necessidade de um restaurante para as refeições desse público, dando mais conforto e comodidade aos usuários. Na área administrativa, o prédio irá disponibilizar salas especificas para esse setor.

Especificações Técnicas – Para abrigar toda essa estrutura, o novo prédio foi dividido em três pavimentos. No piso inferior ficarão os três auditórios, dois conjuntos sanitários, circulação horizontal, pavilhão de exposições com área climatizada e com controle de umidade seguindo os padrões internacionais, sala de dança e música, copa e depósito, além de estacionamento para 392 automóveis.

No térreo, serão mais dois conjuntos sanitários; dois auditórios com capacidade para 118 lugares cada; hall de entrada e galeria para circulação; recepção, depósito e copa; restaurante; cozinha completa e conjunto sanitário independente; setor administrativo; rampas de acesso e circulação horizontal.

O pavimento superior será composto por um terraço; depósito e área técnica. Para ligar os três pavimentos, serão construídas escadas e colocados elevadores. “O restaurante irá funcionar independente das demais áreas. Isso significa dizer que se outros setores estiverem fechados, as pessoas podem usufruir do espaço gastronômico”, disse Marcelo Cavalcanti.

Em relação ao conforto térmico e ambiental, as cabeceiras do prédio foram detalhadas para receber tratamento acústico e térmico, de acordo com as atividades desenvolvidas. Já a galeria e a área multidisciplinar, localizadas na área sul, foram projetadas para receber ventilação cruzada.