Ângela Maria e Glória Fonseca encerram o Seis e Meia de agosto

Por - em 54

O romantismo e a nostalgia vão embalar a última edição do Projeto Seis e Meia do mês de agosto, nesta quarta-feira, dia 26, que terá como atração principal a cantora Ângela Maria, uma das mais importantes cantoras da Música Popular Brasileira. A intérprete Glória Fonseca fará a abertura do evento, mostrando clássicos da MPB e do Fado.

O Projeto Seis e Meia é promovido pela Prefeitura de João Pessoa em parceria com a Accorde Produções. O evento recebe o apoio cultural do Ambassador Flat e dos restaurantes Cia do Chopp, Peixe Elétrico e Vila Cariri, e acontece sempre às 18h30 na Praça de Eventos do MAG Shopping, na praia de Manaíra. Os ingressos custam R$ 20,00 (inteira) e R$ 10, 00 (meia) e podem ser comprados antecipadamente ou na hora do show no posto de vendas montado no primeiro piso do MAG Shopping. Informações: 9134-7610.

Ângela Maria – Abelim Maria da Cunha é o verdadeiro nome da cantora Ângela Maria, que nasceu em Conceição de Macabu, distrito de Macaé (RJ), no dia  13 de maio de 1928. Ela começou cantando em coro de igreja ainda adolescente. Enquanto trabalhava numa fábrica de lâmpadas, participava, às escondidas, de programas de calouros. Adotou o nome de Ângela Maria para não ser identificada pela família. Como ganhava todos os concursos, foi cantar no famoso Dancing Avenida e depois na rádio Mayrink Veiga.

Em 1951 gravou o primeiro disco e veio assim o sucesso que sempre a acompanhou nestes 81 anos de vida e mais de 55 de carreira profissional. Atuou em cinema, no longa-metragem “Portugal, Minha Saudade“ no ano de 1973. Ângela Maria consagrou-se como uma das grandes intérpretes do gênero samba-canção – surgido na década de 30 – ao lado de Maysa, Nora Ney e Dolores Duran.

Gravou dezenas de sucessos, a exemplo de ‘Não Tenho Você’, ‘Babalu’, ‘Cinderela’, ‘Moça Bonita’, ‘Vá, Mas Volte’, ‘Garota Solitária’, ‘Falhaste Coração’, ‘A Noite e a Despedida’ e ‘Gente Humilde’, que a tornaram campeã de vendagem de discos em todo o Brasil  

Em 1996, foi contratada pela gravadora Sony Music e lançou o CD ‘Amigos’, com a participação de vários artistas como Roberto Carlos, Maria Bethânia, Caetano Veloso, Chico Buarque, entre outros. O trabalho foi um sucesso, celebrado em um espetáculo no Metropolitan, atual Claro Hall no Rio de Janeiro, e um especial na Rede Globo. O disco vendeu mais de 500 mil cópias.

Foi uma fase muito feliz da carreira da cantora que, no ano seguinte, apresentou o álbum ‘Pela Saudade que Me Invade’, com sucessos de Dalva de Oliveira, e um ano depois gravou, com Agnaldo Timóteo, o CD ‘Só Sucessos’, também na lista dos cem álbuns nacionais mais vendidos. Após a saída da Sony, Ângela voltou a gravar em 2003, desta vez pela Lua Discos, o ‘Disco de Ouro’, com um viés eclético, abrangendo compositores que vão de Djavan a Dolores Duran. Parte desse trabalho será apresentando no Projeto Seis e Meia, matando assim a saudade dos inúmeros fãs da artista na Paraíba.

Glória Fonseca – A cantora iniciou sua carreira profissional há quatro anos sempre cantando Fados em restaurantes de cozinha portuguesa instalados em João Pessoa e na cidade de Natal, no Rio Grande do Norte. O amor pelo Fado se deu há alguns anos, quando recebeu de presente um disco de Amália Rodrigues. Ela se identificou de imediato com o gênero português e hoje é uma das principais interpretes de Fado do Nordeste.

Glória Fonseca gravou um CD intitulado ‘Lua Branca’, cujo repertório inclui fados, MPB e canções. A artista costuma ser convidada para se apresentar em eventos, casas noturnas e hotéis, sempre apresentando o gênero musical típico de Portugal e também canções românticas da MPB.