Ano José Lins: seminário reúne cerca de 200 educadores de JP

Por - em 32

Cerca de 200 educadores participaram nesta quinta-feira (12) do ‘Seminário Memória e Cultura em José Lins do Rego’, promovido pela Prefeitura de João Pessoa (PMJP), voltado para a rede municipal de educação. O evento – que aconteceu no Centro Administrativo Municipal (CAM), em Água Fria – foi aberto com a exibição do documentário ‘O Engenho de Zé Lins’, de Vladimir Carvalho, seguido de debate conduzido pelos mestres Lúcio Vilar e Eleonora Montenegro e pelo ex-secretário de Educação e atual diretor da TV Cidade, Walter Galvão.

A coordenadora do Ano Cultural José Lins do Rego, Rosires de Andrade, explicou que o debate teria a participação do cineasta Vladimir de Carvalho, mas ele adoeceu e não pôde comparecer. Ela explicou que a programação começou em março, com a preparação dos eventos.

“Em abril, foram feitas três excursões à cidade de Pilar – onde Zé Lins nasceu. A região foi cenário de vários de seus livros e cerca de 240 professores tiveram oportunidade de vivenciar isso. Muitos deles estão aqui hoje nesse seminário. A intenção é lançar sementes para que, no futuro, tenhamos uma boa colheita”, disse.

Resgate – Walter Galvão falou da importância do encontro de duas grandes obras no filme assistido pelos participantes – a literatura de José Lins e o cinema de Vladimir. Ele também ressaltou a importância do resgate permanente dos valores paraibanos e da apropriação qualitativa dessa cultura para a difusão nas escolas, destacando a importância do Ano Cultural.

Os professores Eleonora Montenegro e Lúcio Vilar deram continuidade à mesa de debate com o tema ‘A obra de José Lins do Rego no Cinema: documentário e possibilidades pedagógicas’. O filme denunciou a depredação do engenho de Zé Lins, que foi um dos assuntos do debate.

Mais duas mesas de debate animaram a programação da tarde, com os temas ‘As ilustrações na obra de José Lins do Rego’ e ‘Memória e cultura em José Lins do Rego: possibilidades pedagógicas interdisciplinares’. Participaram dos debates os professores Lívia de Carvalho, Sicília Calado, Robson Xavier, Carmelo Ribeiro do Nascimento Silva e Doralice Sátyro Maia.

Em agosto, haverá exibições do filme ‘Menino de Engenho’ nas escolas municipais, dentro da programação do Ano Cultural. O mês também será marcado pelas inscrições aos prêmios lançados dentro do tema. O Ano Cultural termina em novembro com exposição dos trabalhos realizados, na Estação Ciência, Cultura e Artes.