Ariano Suassuna abre exposição de iluminogravuras, na Capital

Por - em 282

A ‘Imagem da Palavra’ é o nome da exposição que o professor, escritor, gestor cultural e artista gráfico Ariano Suassuna apresenta a partir desta quarta-feira (19), na Estação Cabo Branco, Ciência, Cultura e Artes. Ariano Suassuna estará presente na abertura da mostra, que acontecerá na quarta, às 19h. Logo após a abertura haverá apresentação do Grupo Armorial Motiva, regido pelo músico Roberto Araújo. A exposição prossegue até o dia 04 de outubro e a entrada é gratuita. A Estação Cabo Branco está localizada na Avenida João Cirillo Silva, s/n, no Altiplano Cabo Branco.

Parte da obra do artista chega ao público paraibano através de uma seleção de dez iluminogravuras. A mostra contará ainda com apresentação de audiovisuais compilados por Tiago Martins a partir de três documentários, dirigidos por Marcus Vilar, Cláudio Marzo e Douglas Machado.
 
As iluminogravuras estão ligadas ao movimento armorial, proposto por Ariano Suassuna. Originalmente atribuído ao “conjunto de insígnias, brasões, estandartes e bandeiras de um povo”, a palavra armorial ganhou, através do mestre Suassuna, um novo significado. Passou a designar criações que buscavam nas tradições populares brasileiras “a literatura de cordel, os poemas dos cantadores, a xilogravura, os estandartes e danças dos folguedos” os elementos para a construção de uma arte erudita essencialmente nacional.

Aproximar o grande público da obra gráfica e plástica de Ariano Suassuna é o objetivo maior da mostra ‘A Imagem da Palavra’, produzida pela CAMARA Museologia, com o patrocínio da Companhia Hidroelétrica do São Francisco (Chesf).

Técnica – Na concepção das iluminogravuras, Ariano também se inspirou nas tradições medievais. A técnica de iluminura era praticada por monges na Idade Média. Eles costumavam adornar as páginas de manuscritos com motivos florais e geométricos, capitulares rebuscadas e figuras fantásticas, que cobriam as margens do papel, emoldurando o texto. Na versão armorial, Ariano combinou a antiga iluminura com a gravura. As imagens de cavaleiros, cruzes, animais e armas são penetradas pela palavra.

Afinal, foi mesmo de um romance que surgiu o artista gráfico Ariano Suassuna. Na meninice, Ariano teve algum aprendizado de desenho e pintura. Ao iniciar a redação do seu romance “A pedra do reino” e o “Príncipe do Sangue do Vai-e-volta”, decidiu ilustrar ele mesmo o livro.Ao contrario das gravuras convencionais, as que compõem o romance têm papel estrutural na história e são assinadas por um dos personagens e citadas no texto.

Mais tarde, em 1980, Ariano aprofundou o processo de fusão entre texto e gravura em uma caixa com dez pranchas: Sonetos com Mote Alheio.  Para fazer as matrizes, Ariano combinava os poemas manuscritos a desenhos em nanquim, em papel branco. As cópias eram feitas em uma gráfica, pelo processo off-set. Cada uma das 50 cópias era, então, trabalhada individualmente a mão, colorida a guache, tinta a óleo e aquarela, tornando-se peça única. Em 1985, o processo foi repetido em uma nova caixa de dez pranchas: Sonetos de Albano Cervonegro, apresentados nesta mostra, novamente com 50 exemplares (mais tarde, foram reproduzidos alguns exemplares extras, a pedido de amigos).

Armorial Motiva – O grupo Armorial Motiva é um grupo de câmera instrumental que faz parte do projeto de música da Escola Motiva e tem como objetivo de pesquisar e valorizar a música nordestina e brasileira, como também promover e incentivar novos talentos musicais na escola. A primeira apresentação do grupo aconteceu no dia 19 de maio de 2007 e desde então vem sendo convidado para apresentações dentro e fora do Estado da Paraíba.

O grupo é conduzido pelo maestro, arranjador e professor Roberto Araújo. A maioria dos integrantes tem idade que varia entre 18 anos a 21 anos. No repertório da apresentação na Estação Cabo Branco, estão incluídas as músicas: Romance da Bela Infanta (anônima do séc. XVI); Rabecão (Antúlio Madureira), Aspecto de uma feira (Sagrama), Santa Morena (Música Flamengo), Jacó do Bandolin; Suíte Nordestina (Homenagem a Luiz Gonzaga), Dança do Mergulhão (Domínio Público), Bachianas Brasileira n.05 (Heitor Villa Lobos), Feira de Mangaio (Sivuca – Re-leitura e adaptação Roberto Araújo), Brasileirinho (Waldir Azevedo), Rasga Nordeste (Antonio Nóbrega).

Movimento Armorial – O movimento cultural Armorial foi oficialmente lançado, em Recife (PE), no dia 18 de outubro de 1970, e idealizado pelo escritor, professor, gestor cultural e artista gráfico Ariano Suassuna. O movimento tinha como objetivo de produzir uma arte erudita brasileira a partir das raízes populares, ou seja, a fusão da criatividade da música popular, na busca de qualidade Erudita.

SERVIÇO:

A IMAGEM DA PALAVRA, de ARIANO SUASSUNA
Abertura: 19 de agosto (quarta-feira)
Hora: 19h
Local: Estação Cabo Branco Ciência, Cultura e Artes – Avenida João Cirillo Silva, s/n, Altiplano Cabo Branco.
Período da Exposição: 19 de Agosto a 04 de Outubro de 2009
Horário de Funcionamento da Estação:
Terça a Sexta – 09 às 17h
Sábados e Domingos – 10h às 18h
Fone: 83. 3214. 8303 – 8802-3255
Email: fabath-ecartes@joaopessoa.pb.gov.br
Imprensa: Adriana Crisanto – 83. 8823. 2233 e 8770.5958
Email: adrianacrisanto@yahoo.com.br
 
CAMARA – MUSEOLOGIA E AÇÃO CULTURAL
ALUIZIO CÂMARA
Local: 2º Pavimento da Torre
Aluizio Camara
Fone: 81.8648.0108 – 3221.1574
Email: camara.museo@gmail.com