Artistas paraibanos empolgam plateia no São João de João Pessoa

Por - em 66

A animação tomou conta do Ponto Cem Réis, na noite dessa quarta-feira (27), a antepenúltima do “São João de João Pessoa – O Melhor da Gente”. Para garantir a empolgação do público presente, cinco artistas paraibanos subiram nos dois palcos montados no local e demonstraram sintonia com o público ao tocar xote, forró pé-de-serra, ciranda e baião.

A chuva que caiu em vários momentos da noite não intimidou as pessoas que foram prestigiar o evento promovido pela Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), através da Fundação Cultural (Funjope). Com o público animado, coube à Penha Cirandeira, Forró da Mala, Fuba de Taperoá, Pinto do Acordeon e Dejinha de Monteiro cantarem músicas consagradas dos dois homenageados desta edição do “São João de João Pessoa”: Luiz Gonzaga e Marinês.

Os shows foram iniciados às 18h com a apresentação de Penha Cirandeira no palco de cultura popular. A animação da artista contagiou quem passava pelo local e transformou parte do Ponto Cem Reis em uma grande ciranda. “É ótimo você poder sair do trabalho e já ter uma festa montada aqui no Centro da cidade. A ciranda é muito animada e todo mundo que está por perto acaba se contagiando”, descreveu a vendedora Vanderlúcia Oliveira. 

Ainda no palco de cultura popular, o Forró da Mala contagiou o público com um show de forró pé-de-serra. Mesmo sob chuva, o público compareceu ao palco, cantou e dançou as canções que o Forró da Mala apresentava. Clássicos da música nordestina e canções de Luiz Gonzaga e Jackson do Pandeiro fizeram o show da segunda atração da noite durar mais de uma hora.

Palco principal – Com o público empolgado com os shows do palco da cultura popular, Fuba de Teperoá empolgou a plateia que ia se aglomerando no Ponto Cem Réis. Com o show marcado pelo pandeiro e triângulo, o artista não decepcionou o público com músicas que foram lançadas ao longo da carreira, além de clássicos de Jackson do Pandeiro. “Vim mostrar para os pessoenses o legítimo forró pé-de-serra e consegui botar o povo para dançar”, resumiu o artista após a apresentação.

Na sequência, foi a vez de Pinto do Acordeon não deixar a animação cair. Sem fugir às homenagens da edição do evento, o cantor fez uma verdadeira exaltação a Luiz Gonzaga e Marinês. “Temos a obrigação de levar os nomes desses dois reis ao conhecimento de todos.  São ícones da nossa música e é só cantar músicas deles que levanta qualquer plateia”, acrescentou o cantor.

A última atração da noite foi o cantor Dejinha de Monteiro, consagrado por ter gravações de nomes de peso no cenário nacional como Flávio José e Novinho da Paraíba. Com a responsabilidade de encerrar a noite de apresentações, o cantor apostou em um repertório com forte influência de Luiz Gonzaga e canções conhecidas que foram gravadas por artistas como Elba Ramalho, Genival Lacerda, Dominguinhos e Fagner.