Árvores com flores rosas e amarelas estão florindo em diversos pontos de João Pessoa

Por Jô Vital - em 222

A Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) tem cadastrados cerca de 1.600 árvores de ipês nas áreas públicas da cidade. Elas estão principalmente na Avenida Beira Rio, Avenida Getúlio Vargas, no Parque Zoobotânico Arruda Câmara e no Parque da Lagoa, além de outras áreas verdes e bairros.

Só no Parque da Lagoa, a Secretaria de Meio Ambiente (Semam) tem cadastrados 150 ipês. Segundo os técnicos, os ipês brotam flores amarelas, rosas, brancas, roxas e lilás, muito comuns em todas as regiões do Brasil. As árvores dão sombra e proporcionam um dos mais belos espetáculos quando estão florindo, forrando o piso do espaço público com um tapete de flores amarelas no tempo da floração. Para manter esse patrimônio ambiental, os técnicos da Semam fazem a manutenção, com limpeza, tratamento e, quando necessário, aplicação de fungicida e cupinicida.

Anderson Fontes, engenheiro agrônomo da Divisão de Arborização e Reflorestamento da Semam, explicou que as mudanças climáticas estão influindo no ritmo de floração das árvores. “Os ipês geralmente florescem no período de setembro a dezembro, mas a poluição atmosférica e a interferência humana no meio ambiente estão provocando mudanças no ecossistema. Mas ainda assim a natureza se renova, proporcionando um espetáculo de rara beleza em toda a cidade, com a floração dos ipês”, afirmou.

Espécie – Os ipês são árvores nativas do Brasil com espécies que ocorrem nos biomas Mata Atlântica e também no Cerrado. Ipê é uma palavra de origem Tupi, que significa árvore cascuda. A espécie pode atingir até 30 metros de altura e a floração proporciona um espetáculo grandioso, tanto na copa, que contrasta com o verde das outras árvores, quanto no chão, com a formação dos tapetes de flores.

O plantio deve ser feito em quintais e calçadas com pelo menos dois metros de largura, de preferência sem concreto, para que não prejudique o colo da raiz e a mesma não levante. O ipê tem uma raiz principal pivotante e raízes secundárias. A floração dura, em média, 25 dias.