Árvores da Lagoa afetadas por cupins passam por tratamento

Por - em 42

Cerca de 100 árvores do Parque Solon de Lucena (Lagoa) vão passar por um tratamento fitossanitário a partir das 8h do próximo domingo (13). A ação é coordenada pela Secretaria de Meio Ambiente (Semam) e faz parte do projeto de requalificação que a Prefeitura de João Pessoa (PMJP) vem desenvolvendo no local. Trata-se de um trabalho pioneiro aqui na capital, visto que não foram encontrados registros de nenhuma ação similar em toda a existência do Parque.

O tratamento consiste na utilização de uma substância apropriada para o extermínio de pragas urbanas – nesse caso, cupins – e que será aplicada por especialistas. O material é testado e aprovado pelo Ministério do Meio Ambiente e destina-se, principalmente, à arborização urbana, não causando nenhum malefício às pessoas, aos animais e tampouco à própria flora do Parque.

De acordo com Anderson Fontes, chefe da Divisão de Botânica da Semam, a técnica é simples e eficaz: uma barreira química é criada em volta da raiz, impedindo o cupim de subir e espalhar-se através dos galhos para outras árvores. O bicho morre ainda no solo. Depois, a planta recebe um banho do pesticida através de um vaporizador.

O tratamento fitossanitário é indicado para as árvores que estão enfraquecidas pelas pragas urbanas, mas mantém raízes vivas. Para outros agentes dizimadores como doenças – o Mal do Recife, por exemplo, a solução geralmente aponta para a supressão (corte) da árvore.