Árvores da Lagoa recebem tratamento fitossanitário

Por - em 34

Equipes da Secretária do Meio Ambiente (Semam) aplicaram o tratamento fitossanitário em 100 árvores do Parque Solon de Lucena, no domingo (13). A ação teve como objetivo o extermínio de pragas urbanas, a exemplo dos cupins. O trabalho realizado pela Prefeitura de João Pessoa (PMJP) é pioneiro na Capital e toda área será monitorada nos próximos 15 dias, a fim de verificar a eficácia da intervenção. Ainda na manhã desta segunda-feira (14) a atividade continuou com a limpeza do entorno da Lagoa e poda de árvores.

O tratamento consiste na utilização de uma substância apropriada para o extermínio de pragas urbanas e que cria uma barreira química em volta da raiz, impedindo que o cupim se espalhe através da copa e galhos e que contamine outras árvores vizinhas. “O cupim morre ainda no solo sem oferecer agressão à arvore e protegendo a sua raiz. Além disso, as plantas receberam um tratamento de vaporização de pesticida. Vamos aguardar a evolução do tratamento”, explicou o chefe da Divisão de Botânica da Semam, Anderson Fontes.

Toda ação foi realizada por especialistas e o material foi testado e aprovado pelo Ministério do Meio Ambiente e destina-se, principalmente, à arborização urbana, não causando nenhum malefício às pessoas, aos animais e tampouco à própria flora do Parque. O tratamento fitossanitário é indicado para as árvores que estão enfraquecidas pelas pragas urbanas, mas mantém raízes vivas. Para outros agentes dizimadores como doenças – o Mal do Recife, por exemplo – a solução geralmente aponta para a supressão (corte) da árvore.