Ato contra a violência à mulher movimenta Ponto de Cem Réis

Por - em 19

A Secretaria Extraordinária de Políticas Púbicas para as Mulheres da Prefeitura de João Pessoa (PMJP) participou na manhã desta quinta-feira (15) da mobilização de combate à violência contra a mulher. A concentração do ato foi no Ponto Cem Réis, onde reuniu representantes do movimento organizado de mulheres, organismos de políticas públicas para as mulheres e sociedade civil.

Segundo a representante da Rede de Mulheres em Articulação na Paraíba, Terlúcia Silva, o objetivo da mobilização é sensibilizar a sociedade sobre a violência de gênero, para que as autoridades competentes efetivem a Lei Maria da Penha, com a criação de juizados especiais e casas abrigos. A violência contra a mulher não é um problema específico da mulher, mas de toda sociedade e principalmente dos órgãos competentes”, disse Terlúcia Silva.

O ato foi encerrado em frente ao Tribunal de Justiça, na Praça dos Três Poderes, onde 27 mulheres vestidas de lilás e carregando cruzes de madeira, representando as mulheres assassinadas nos últimos seis meses no Estado, fizeram um momento de silêncio em homenagem às vítimas.

Entre as organizadoras da mobilização estão a Articulação de Mulheres Brasileiras (AMB), a Rede de Mulheres em Articulação na Paraíba, a Marcha Mundial de Mulheres, o Fórum de Mulheres da Paraíba, o Centro de Atendimento às Vítimas de Crimes (CEAV), o Coletivo Wen-do/João Pessoa, além da Secretaria Municipal das Mulheres, Centro de Referência da Mulher Ednalva Bezerra, Secretaria Estadual de Políticas para Mulheres e Associação Paraibana de Imprensa – API.

Dados de violência contra a mulher na Paraíba e Brasil.

· A cada 15 segundos uma mulher é espancada no Brasil;
· De 1997 a 2007, cerca de 10 mulheres foram assassinadas por dia no Brasil;
· No primeiro semestre de 2010, na Paraíba, 27 mulheres foram assassinadas;
· De janeiro a maio deste ano, o Centro de Referência da Mulher Ednalva Bezerra atendeu 128 mulheres; Em 2009, foi registrado no serviço, atendimento a 481 mulheres, o que significou uma média de 40 novos casos ao mês atendidos.
· Em 70% dos casos, o agressor é uma pessoa com que a mulher mantém ou manteve algum vínculo afetivo (maridos, namorados e parceiro)

*Dados da Fundação Perseu Abramo, Instituto Sangari, com o Mapa da Violência no Brasil e Centro de Referência da Mulher Ednalva Bezerra.

Serviços

O Centro de Referência da Mulher Ednalva Bezerra, ligado à Secretaria Extraordinária de Políticas Públicas para as Mulheres, atende e orienta mulheres vítimas de violência. Está situado à Rua Afonso Campos, 191 – Centro, funcionando de segunda a sexta-feira, das 07h às 19h. O serviço ainda disponibiliza atendimento através do telefone 0800 283 3883.

O Centro é referência no Estado e ainda disponibiliza atendimento com equipe multiprofissional, através de psicólogas, advogada, assistente social e arte educadoras.