Atuação do órgão contribui para estabilizar preço dos combustíveis

Por - em 36

O Procon de João Pessoa monitora semanalmente o preço dos combustíveis para identificar irregularidades como a combinação de preços e autuar aqueles que fazem aumentos abusivos. A atuação do órgão com pesquisa, fiscalização, notificação, além da participação em campanhas, tem contribuído para a estabilização dos preços dos combustíveis na Capital.

De acordo com a secretária adjunta do Procon, Sandra Burity, o trabalho realizado pelo órgão tem um reflexo direto no bolso dos consumidores e, por isso, tem o apoio da população. “Com essas ações permanentes, nós mostramos à sociedade que não apenas atuamos de forma punitiva, mas também, preventiva e educativa. Temos um trabalho diferenciado e que tem alcançado bons resultados”, destacou.

O Procon tem intensificado as ações desde o início do ano, quando criou uma Comissão de Investigação Preliminar para apurar o envolvimento de proprietários e gerentes de postos em possível formação de cartel, o que é considerado crime. A medida foi tomada depois que vários postos alinharam os preços.

Em abril, 114 postos foram notificados por preço abusivo e tiveram que explicar o aumento, apresentando planilhas de custos para identificar os motivos do reajuste. Os proprietários apontaram que a origem da alta dos preços estava nas distribuidoras e, por isso, o Procon autuou 13 por alinhamento de preço.

Segundo a secretária adjunta do Procon, o órgão também trabalha para combater a cobrança diferenciada entre formas de pagamento à vista e a prazo. Em maio e agosto, o Procon apoiou campanhas que foram realizadas em postos que faziam a cobrança diferenciada. Denominada “na mesma moeda”, a ação consiste em mobilizar os clientes a abastecer em apenas R$ 1, pagarem com cartão de crédito e exigirem nota fiscal.

Pesquisas – O preço da gasolina se mantém estável há mais de um mês. Do início de agosto até setembro, o preço médio cobrado pelo litro da gasolina variou apenas R$ 0,017, passando de R$ 2,519 em 2 de agosto para R$ 2,502 em 5 de setembro.

Os postos também não variaram nos valores cobrados pelo álcool. Em um mês, a diferença de preço foi de R$ 0,03, indo de R$ 2,179 para R$ 2,149 o preço médio.

O óleo diesel segue a mesma tendência de estabilização de preços. Entre agosto e setembro, o preço variou R$ 0,001. O custo médio por litro no início de agosto era de R$ 1,991 e agora está em R$ 1,99.