Banda Brasis, Império do Samba e Orquestra Paulistana no ‘Domingo É Dia’

Por - em 88

Depois do sucesso da estreia, o projeto ‘Domingo É Dia’ segue nesse final de semana com mais três atrações, dentro da proposta municipal de ocupação do Centro Histórico. A concentração está marcada para começar neste domingo (22), a partir das 15h, no Beco da Cachaçaria Philipéia, com a Orquestra Paulista de Frevo. Depois, o “arrastão” segue até a Casa da Pólvora, onde haverá apresentação da bateria da Escola Império do Samba e da Banda Brasis. A iniciativa é fruto de uma parceria entre a Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope) e o Bloco Vai Tomar no Centro.

A Orquestra Paulistana de Frevo, que é a primeira a se apresentar, foi criada há três anos, no bairro da Torre. Atualmente, conta com 12 componentes para blocos de arrasto. Mas, nas apresentações de baile, participam todos os 19 integrantes. O maestro do grupo, Zerinaldo Barros dos Santos, ressaltou que o repertório deste domingo contará com composições bastante conhecidas do público. “Geralmente, tocamos músicas de Livardo Alves, mas também muitas coisas de Capiba, Nelson Ferreira, Maestro Duda, Alceu Valença, Zé Ramalho. Ou seja, bastante variado”, comentou.

O ‘Domingo É Dia’ está inserido em outro projeto, o ‘Corredor Cultural’, que acontece também nas tardes de sábado, no Beco da Cachaçaria Philipeia, com a apresentação de grupos da cultura popular, logo após o ‘Sabadinho Bom’. Agora, os domingos também passarão a ser animados no Centro Histórico da Capital, ao ritmo de marchinhas de carnavais, sambas e estilos regionais.

Império do Samba e Banda Brasis na Casa da Pólvora – por volta das 17h, a bateria da Associação Cultural Império do Samba, do bairro do Róger, fundada há sete anos, vai animar a festa, na Casa da Pólvora. Na ocasião instrumentos como, surdo, tamborim, caixa, repinique e chocalho (conhecido como ganzá) serão cadenciados pelas mãos de 20 batuqueiros. No repertório, estão sambas-enredo da própria escola e também de agremiações nacionais, conhecidos do grande público.

A Império do Samba já disputou seis edições do Carnaval Tradição, sendo campeã cinco vezes – 2006, 2008, 2009, 2010 e 2011. Além das festividades momescas, o grupo costuma se apresentar em eventos ocorridos na Capital, como festas de aniversário e até casamento.

Enquanto isso, a segunda atração da noite, a Banda Brasis, apresenta uma proposta de unir os ritmos da música popular. Nascida em 2009, ela se inspira em expressões como o coco e ciranda, expressando a brasilidade no contexto geral de suas composições.

As letras da Banda Brasis são de autoria própria e mostram sentimentos contidos em uma geração de jovens, que busca não apenas o conhecimento e a inserção no mercado de trabalho, mas também a vivência humana em defesa da diversidade. Integram o grupo os músicos Rafa Araújo (vocal), Bruno Falcão (violão), Igor D’Angelis (guitarra), Zé Digóes (contrabaixo), Eliza Garcia (bateria) e Tita Lamara (percussão).