Bares e shoppings aderem ao combate ao fumo na Capital

Por - em 47

Uma ação educativa que incluiu a realização de palestras e a divulgação em camisetas de charges ligadas ao tema, além do apoio de proprietários e funcionários de 61 bares, restaurantes e lanchonetes, marcou o ‘Dia Nacional de Combate ao Fumo’ em João Pessoa, nesta quarta-feira (29), num trabalho que envolveu as secretarias Municipal (SMS) e Estadual de Saúde (SES).

As palestras aconteceram no Hotel Imperial, no bairro de Tambaú, e foram proferidas por Jailma Porto (chefe de Fiscalização da Gerência de Vigilância Sanitária-GVS), que abordou o tema ‘Avanços na promoção de ambientes livres de tabaco’, e Anne Jaquelyne Barreto (chefe da Seção de Doenças e Agravos Não-Transmissíveis da SMS), enfocando o ‘Programa Municipal de Controle e Tratamento de Tabagismo’.

A campanha contou com a parceria dos proprietários e funcionários de 61 estabelecimentos entre bares, restaurantes e lanchonetes que ‘vestiram a camisa’ da campanha elaborada com os trabalhos de chargistas paraibanos, numa forma bem humorada de alertar para os prejuízos ocasionados pelo fumo.

Menos fumantes –
De acordo com Jailma Porto, as campanhas educativas junto a restaurantes, bares e shoppings têm reduzido a incidência do tabagismo nesses locais, fazendo cumprir a Lei Federal nº. 9294, que proíbe o fumo em ambientes fechados. “Além da parte educativa, fiscalizamos 60 estabelecimentos e somente uma boate foi autuada por reincidência”, explicou.

Ela lembrou que o fumo contribui para o aparecimento de doenças como câncer de pulmão, laringe e boca e outras neoplasias que prejudicam o aparelho respiratório. “As campanhas desenvolvidas de forma sistemática vêm diminuindo o número de fumantes e também fazendo com que os fumantes, num ato de respeito, não utilizem o cigarro em locais fechados”, destacou.

Perfil – Uma pesquisa realizada pela Secretaria Municipal de Saúde no mês de agosto de 2005 entre 5.000 usuários do Programa Saúde da Família (PSF) demonstrou o perfil do fumante de João Pessoa. O levantamento indicou que o ato de fumar se inicia ainda na infância dos 10 aos 14 anos, sendo que a maior incidência está entre as mulheres, que representaram 51,2% dos entrevistados.

Outro dado alarmante é que 79,3% fumam há mais de dez anos e mesmo entre aqueles que tentaram abandonar, 73,1% retomaram o hábito de fumar. A necessidade de fumar também está associada ao comportamento diário, onde 70,7% dos entrevistados fumam ao tomar um café ou beber, e principalmente após discussões em família ou ambiente de trabalho.

O gerente da Agência Estadual de Vigilância Sanitária (Agevisa), Jorge Molina, explicou a campanha está focada nos bares e restaurantes este ano por serem lugares onde o fumo está relacionado ao lazer, à culinária e bem-estar. “Os empresários são importantes nesta luta não permitindo que os clientes fumem, já que a fumaça do cigarro possui 90% de substâncias cancerígenas que prejudicam os não fumantes”, completou Molina.

Engajamento – O empresário e diretor da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), Romeu Lemos, proprietário de restaurante, afirmou que os funcionários de seu estabelecimento estarão durante a semana vestidos com as camisas alusivas ao ‘Dia Nacional de Combate ao Fumo’ e farão a sensibilização dos clientes.

Ele destacou que em seu restaurante não é permitido fumar no salão principal, já que existe um fumódromo em uma área aberta. “Hoje em dia o fumante se sente até constrangido de fumar em um local fechado e também não gosta de ficar isolado, numa demonstração de que as campanhas contra o fumo e os malefícios ocasionados pelo cigarro acabam surtindo bastante efeito”, explicou.

A Paraíba possui aproximadamente 719 mil fumantes e somente no ano passado 513 pessoas morreram vítimas de doenças provenientes do uso do cigarro, segundo dados da Secretaria Estadual de Saúde (SES). O número de fumantes representa cerca de 20% da população do Estado.