Beto Guedes e Odecasa se apresentam no ‘Som das 6’

Por - em 64

O mineiro Beto Guedes, representante do movimento Clube da Esquina, que transformou o panorama da MPB a partir dos anos 60, é uma das atrações do ‘Som das 6’ nesta sexta-feira (10). A noite ainda terá o tom mesclado do rock, baião, bossa nova e jazz do grupo paraibano Odecasa, que já fez turnê pela Europa. O evento acontece no Ponto de Cem Réis, Centro da Capital, a partir das 18h. O projeto é uma iniciativa da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), através da Fundação Cultural (Funjope).

Das ruas de Divinópolis e Paraisópolis, no bairro de Santa Tereza, em Belo Horizonte (MG), jovens músicos se encontravam no início da década de 60. O som ficou mitificado na música de Milton, Lô e Márcio Borges. Esse grupo depois também aglutinou o nome de Beto Guedes. Estavam lançadas, a partir de então, as bases do movimento musical Clube da Esquina.

Na apresentação do Ponto de Cem Réis, nesta sexta-feira (10), Beto Guedes vai recordar canções de sua autoria com o parceiro musical Ronaldo Bastos, a exemplo de “Amor de Índio”, “Sol de Primavera”, “O Sal da Terra” e “Canção do Novo Mundo”. No repertório que acompanha o cantor também há sempre espaço para músicas de outros compositores, como Lô Borges e Fernando Brant.

O cantor e compositor Beto Guedes nasceu em 1969. Juntamente com Lô Borges, começou a participar de vários festivais ainda na juventude. A partir do Festival Internacional da Canção (1970), ele também começou a integrar os espetáculos de Milton Nascimento, com a banda Som Imaginário. Foi nessa época, já no Rio de janeiro, que Beto participou de quase todas as faixas do disco Clube da Esquina.

O primeiro disco de Beto Guedes surgiu em 1973. Em 75, ele gravou com Milton Nascimento no LP Minas, que incluía a música Fé Cega, Faca Amolada. No mesmo ano, os dois ainda lançaram juntos um compacto. Em 1977, assinou contrato com a Odeon para o primeiro disco individual, intitulado A Página do Relâmpago Elétrico”. Outros trabalhos também foram gravados até chegar ao LP “Alma De Borracha”, em janeiro de 1988. O álbum rendeu um Disco de Ouro, ultrapassando 200 mil cópias vendidas.

Odecasa – Formada por Henrique Peixe (baixo e vocal principal), Daniel Mesquita (guitarra e segunda voz) e Júnior Punk (bateria), a banda Odecasa mescla as influências do rock, baião, bossa nova e jazz. No repertório desta sexta-feira (10), os músicos vão mostrar composições próprias. Entre elas destaca-se “Bem ou Mal”, “Sobreviver”, “Fonte de fé” e “Por isso”, todas de autoria do baixista Henrique Peixe.

O trabalho dos integrantes do Odecasa nasceu em 2004. Na época, a formação ainda se chamava Grupo Olho D’água. Só depois os três músicos adotaram o nome atual da banda. No segundo semestre de 2005, o grupo fez apresentações e gravações durante três meses na Europa. Em 2006, realizou um show no clube de jazz “Birdland”, do renomado músico de jazz Joe Zawinul, em Viena (Áustria).