Cai mais da metade o risco de transmissão de dengue em JP

Por - em 22

O município de João Pessoa foi considerado pelo Ministério da Saúde (MS) como localidade de baixo risco para transmissão da dengue. Levantamento feito pelo MS demonstrou que o Índice de Infestação Predial (IIP), relação entre número de imóveis e o mosquito Aedes aegypti, caiu de 1,5% em 2007 para 0,6% em 2008. O índice demonstra que as ações de prevenção e combate à dengue surtiram efeito na Capital.

Outra demonstração da eficácia do controle da dengue na Capital foi a redução em 84% nos casos de dengue tipo clássica este ano em relação a 2007. Segundo dados da Diretoria de Vigilância em Saúde, este ano foram notificados 574 casos de dengue clássica e três de dengue hemorrágica, enquanto em 2007 os números apurados são 3.581 notificados e 52 de dengue hemorrágica.

Criadouros e bairros
– O levantamento do IIP demonstrou que os maiores criadouros do mosquito estão nos depósitos ao nível de solo (descartáveis, potes, tonéis); depósito móveis como vasos de plantas, bebedouros de animais; depósitos fixos como calha, laje, sanitários em desuso e lixo e entulhos. Ao todo, os agentes de vigilância ambiental inspecionaram 1.053 imóveis nos vários bairros de João Pessoa.

A gerente da Vigilância Ambiental e Zoonoses, Djanira Lucena de Araújo, disse que as ações incluíram o trabalho intensivo nas residências, nos pontos de risco e as campanhas educativas junto à população. Essas providências estão contribuindo para o controle da dengue na Capital. “Somente com a colaboração da sociedade, tomando cuidados simples, é que conseguiremos eliminar de vez a incidência do mosquito”, completou.

Queda no índice – Já a diretora de Vigilância em Saúde do Município, Júlia Vaz, lembrou que no ano passado o Índice de Infestação Predial era de 1,5%, considerado de médio risco, e este ano caiu para apenas 0,6%, considerado de baixo risco. Ela destacou o trabalho intersetorial e interinstitucional promovido pelos órgãos de controle e a colaboração da população na prevenção da doença. Somente este ano, os agentes conseguiram retirar 630.746 ovos do meio ambiente, utilizando as ‘ovitrampas’(armadilhas que capturam os ovos do inseto transmissor da dengue, evitando que ele vire mosquito na fase adulta).