Câmara concede título a Lau Siqueira, nesta terça

Por - em 37

A Câmara Municipal de João Pessoa concede nesta terça-feira (4) o título de cidadão pessoense ao poeta Lau Siqueira, diretor Executivo da Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope). A homenagem, aprovada por unanimidade na casa, foi proposta pelo vereador Luciano Cartaxo (PT) e como reconhecimento aos serviços prestados à cidade.

“Lau é um executivo sensível às necessidades culturais que João Pessoa enfrenta. Essa homenagem encontra justificativas visíveis em seus trabalhos desenvolvidos por toda a cidade”, argumenta o autor da proposta.

Histórico – Lau Siqueira é natural da cidade de Jaguarão, no Rio Grande do Sul, e escolheu morar em João Pessoa no ano de 1985, aos 28 anos de idade. Desde a sua chegada a esta capital, aproximou-se intensamente dos movimentos sociais, em especial, às áreas sindicais e culturais. Entre as funções desempenhadas nessa trajetória, assessorou o Sindicato das Telecomunicações (Sintel) e, a partir de 1998, o então deputado estadual Ricardo Coutinho.

Em janeiro de 2005, foi convidado para assumir a Diretoria Executiva Adjunta da Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope) e, desde 2006, passou a ser Diretor Executivo da instituição, desenvolvendo projetos culturais em todos os bairros da cidade.

O escritor homenageado, que faz poesias desde os 15 anos de idade, é autor dos livros ‘O Comício da Veias’, lançado em 1993, pela Editora Idéia; ‘O Guardador de Sorrisos’, publicado em 1998 pelo selo Trema; ‘Sem Meias Palavras’, lançado em 2002; e ‘Texto Sentido’, lançado em outubro de 2007, pela Edições Bagaço.

Perguntado sobre a importância do título cidadão pessoense, Lau Siqueira revela. “Sou um homem simples. No entanto, vejo neste ato do vereador Luciano Cartaxo, um reconhecimento importante ao trabalho realizado pela Funjope. Temos uma equipe enxuta, mas extremamente qualificada e comprometida. Soma-se a isso, as articulações que realizamos com artistas e produtores culturais, para a construção de uma política cultural cidadã. Realizamos intervenções exitosas praticamente por toda a cidade e nas mais diversas áreas. Além disso, praticamos permanentemente a intersetorialidade e a transversalidade administrativa nas nossas ações, com incursões nas políticas sociais, de meio ambiente, de saúde mental, de gênero e diversidade humana, por exemplo”.

O maestro Luiz Carlos Otávio lembra que conheceu Lau em 1989. “Desde aquela época, o poeta vem nos ensinando a fazer política cultural e sindical, ainda nos tempos da Associação do Magistério Público do Estado da Paraíba (Ampep), hoje o Sindicato dos Professores da Paraíba (Sintep). Foi ele quem idealizou o Concurso Literário Violeta Formiga, que repercutiu bastante nos meios literários da cidade”.

Luiz Carlos vê como justa a homenagem a Lau “uma vez que ele é um cidadão que trabalha há muitos anos para a cidade de João Pessoa e seus habitantes, especialmente na área cultural. Atualmente, à frente da Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope), o que mais marca é sua preocupação com a cultura popular, sem deixar de lado a cultura erudita, e principalmente o seu caráter democrático e respeitoso no trato com as pessoas”.

O professor do Centro de Educação, Wilson Aragão, presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Educação da Paraíba (Sintep), conta que ele, ao lado de Célia Leal e Lau Siqueira, fizeram parte da instituição numa época de grande movimentação e enfrentamento político, quando “Lau Siqueira era responsável pela produção de todos os textos do sindicato e ainda participava de todas as reuniões e decisões políticas a serem tomadas”, revelou.