Caminhada alerta servidora da Emlur para violência doméstica

Por - em 35

Sacos de lixo, papel e papelão. Esses materiais serão utilizados pelas agentes de limpeza e servidoras da Autarquia Especial Municipal de Limpeza Urbana (Emlur) durante a ‘V Caminhada das Mulheres da Emlur’. A atividade tem o objetivo de conscientizar as mulheres de que a violência doméstica precisa ser duramente combatida e denunciada caso ocorra. O evento está marcado para a próxima sexta-feira (6), a partir das 8h, e deve mobilizar mais de 400 mulheres. A concentração será no pátio do Teatro Santa Roza, na Praça Pedro Américo, e a caminhada vai terminar com uma ciranda de roda no anel interno do Parque Solon de Lucena (Lagoa).

A caminhada este ano fará uma homenagem a todas as mulheres que morreram em consequência da violência. As servidoras da Emlur vestirão sacos plásticos pretos, instrumento de trabalho diário das agentes de limpeza, para representar o luto. As participantes também usarão máscaras e levarão cartazes feitos a partir de materiais reaproveitáveis, como papel e papelão. Todo material para a caminhada está sendo confeccionado pelos artesãos e artistas plásticos da Oficina de Artes da Emlur.

A coordenadora da Divisão de Bem-Estar da Emlur, Aparecida Pontes, revela que a utilização desses objetos tem um motivo simbólico. “Vamos utilizar o próprio instrumento de trabalho das agentes de limpeza, as sacolas de lixo, para representar o luto pelas mulheres que perderam suas vidas e aquelas que ainda se escondem por trás da máscara do medo, da humilhação e da injustiça”, afirmou.

Para o superintendente da Emlur, Coriolano Coutinho, essa manifestação é um esforço que se faz para tentar diminuir e, quem sabe um dia acabar, com o preconceito e a desvalorização da mulher. “Mesmo com todos os avanços, elas ainda sofrem em muitos locais violência e discriminação. Muito foi conquistado, mas muito ainda há para ser modificado nesta história”, ressaltou.