Cantora cubana Mayra Andrade é atração no Ponto de Cem Réis

Por - em 62

A cantora cubana Mayra Andrade é a primeira atração do projeto ‘Quarta Negra’ . Essa é mais uma promoção da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), por intermédio da sua Fundação Cultural (Funjope). A noite de estréia começa nesta quarta-feira (20) e vai acontecer sempre na terceira quarta-feira de cada mês, a partir das 18h, no Ponto de Cem Réis. O projeto tem o objetivo de exaltar os valores culturais dos povos negros.

Com fortes influências musicais que vão desde o free jazz à música brasileira, Mayra Andrade se apresenta para os pessoenses a partir das 20h. A abertura do evento acontece às 18h com exibição do mestre Mirandinha e da Banda Samba da Paraíba, que se destaca pela valorização do legítimo ritmo brasileiro: o samba do partido alto. A apresentação é promovida pela Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), por intermédio da sua Fundação Cultural (Funjope).

Trajetória – Nascida em Cuba em 1985, Mayra Andrade passou os seus primeiros anos de vida em Cabo Verde, com atuações no Senegal, Angola e Alemanha. Em 2001, a cantora cubana passou a viver em Paris, atraída pela mistura cosmopolita de várias culturas existentes na capital francesa. Em 2006, ela lançou no país africano o seu álbum, intitulado ’Navega’, que apresenta um conjunto de temas que se apóiam tanto na música tradicional cubana, como a vários estilos musicais e tons diferentes.

`Stória, stória…’ – Mayra é uma artista autodidata, que compõe os seus temas à guitarra, livre de juízos de valor e preconceitos. A cantora começou a trabalhar no seu segundo disco ‘Stória, stória…’ no ano de 2008, após um longo período de concertos e lançou o trabalho em 2009.

Neste último trabalho, a artista conseguiu unir o produtor Ale Siqueira com o tocador angolano Zézé N’Gambi, que foi recrutado em Paris. Também tem destaque nesse disco a poderosa percussão do brasileiro Marcos Suzano. Para dar vida ao projeto, a cantora definiu as idéias fundamentais em Paris com o multiinstrumentista cabo verdiano Kim Alves, o baixista camaronês Etienne M’Bappé’ e o percussionista brasileiro Zé Luis Nascimento. Os três são fiéis companheiros que conhecem suficientemente bem a cantora e conseguem antever as suas intenções e instintos.

Atração local – O mestre Mirandinha e a banda Samba da Paraíba são bastante conhecidos do público pessoense. O carisma de Mirandinha, aliado ao rico repertório e a performance instrumental dos músicos, fazem desta turma de sambistas uma verdadeira ‘grife’. Por onde passa Mirandinha e sua banda mostram os clássicos do samba de Martinho da Vila, Fundo de Quintal, Zeca Pagodinho, Lecy Brandão, Alcione, Almir Guineto e muito outros ícones na MPB.A banda Samba da Paraíba é formada por Mirandinha (cavaco banjo), Jorge Flávio (repique de mão), Gilmar (tam-tam), Vicente (pandeiro), Ricardo (surdo), Poti (cavaquinho), Vinícius (violão) e Otacílio (percussão).