Capital ganha Casa de Acolhida e Centro de Formação para jovens

Por - em 91

O prefeito Ricardo Coutinho (PSB) inaugura nesta quinta-feira (14), às 16h, a Casa de Acolhida Feminina e a nova sede do Centro de Formação Margarida Pereira da Silva, ambos localizados na ladeira do São Francisco, s/n, no Centro da capital. Os dois equipamentos fazem parte da política de Proteção Social Especial de Alta Complexidade da Prefeitura de João Pessoa (PMJP), administradas pela Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes).

O secretário de Desenvolvimento Social, Alexandre Urquiza, explica que a Casa de Acolhida feminina é um desmembramento da Casa de Acolhida que funciona na Rua Afonso Campos, que passará a abrigar somente meninos. “A iniciativa tem como objetivo melhorar ainda mais o atendimento que já vem sendo realizado a estes meninos e meninas em situação de rua e risco. Desde o início da gestão do prefeito Ricardo Coutinho que existe esta preocupação do Governo Municipal em ampliar as ações de proteção social”, comentou.

Nas duas obras foram investidos cerca de R$ 45 mil. A Casa de Acolhida Feminina tem capacidade para atender de 12 a 16 meninas em situação de rua e risco de João Pessoa, na faixa etária de 7 a 18 anos. A estrutura é de uma casa normal, com quartos, cozinha, sala de TV e recreação, banheiros e área de serviço.

Já o Centro de Formação Margarida Pereira da Silva desenvolve atividades ludo-pedagógicas, esportivas e de escolarização, atendendo hoje a cerca de 35 crianças e adolescentes abrigadas nas unidades de acolhimento da PMJP. Na nova sede, está sendo instalada também uma Ilha Digital, com seis máquinas, onde os meninos e meninas poderão utilizar os computadores e ter acesso à internet.

“O nosso objetivo é resgatar o contato e a convivência familiar, ao mesmo tempo em que buscamos prepará-los (as) para o mercado de trabalho, promovendo atividades de profissionalização, através de convênios firmados com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) e Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial”, complementou o secretário.

As unidades de acolhimento são um marco da atual gestão, previstas no Estatuto da Criança e do Adolescente (E.C.A.) e na Política Nacional da Assistência Social para a garantia de direitos a esse público.