Carimbó de Pinduca faz público dançar no Ponto de Cem Réis

Por - em 55

O som dançante e contagiante do rei do Carimbó” agradou os seus súditos residentes em João Pessoa. O show de Pinduca, o rei do Carimbó, contagiou o público que lotou o Ponto de Cem Réis, no Centro de João Pessoa, durante apresentação realizada na noite deste sexta-feira (15). A exibição fez parte da programação do Festival Estação Nordeste, evento é promovido pela Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope), da Prefeitura da Capital.

Aurino Quirino Gonçalves, o Pinduca, subiu ao palco pontualmente as 21h30 acompanhando de duas dançarinas. Vestido com as cores do seu estado natal (branco e vermelho), Pinduca cantou músicas conhecidas e novas que integram seu novo trabalho “Novidade”, o que fez o público dançar e interagir com o artista. Ele falou por várias vezes que estava encantado com a belezas naturais da Capital paraibana. “Estou muito feliz por ter recebido o convite do secretário Chico Cesar para fazer um show em João Pessoa. Conheço essa terra há mais de trinta anos e posso dizer que a cidade cresceu. É uma metrópole”, afirmou. Suas palavras agradaram as milhares de pessoas que estavam no local.

Por mais de duas horas, ele cantou o carimbó, o sirimbó e até merengue. Na medida que cantava seus antigos sucessos, Pinduca recebia mais aplausos das mulheres, homens e até crianças. A dona de casa Perpétua Gomes, de 41 anos, era uma das mais entusiasmadas. Moradora do bairro de Jaguaribe e acompanhada do marido e dos filhos, Perpétua contou que conhecia o músico por ouvir falar. “Me falaram que as músicas deles eram dançantes, de alto astral. Não mentiram. Estou adorando e dançando”, declarou.

Convite – Um momento original do show de Pinduca foi quando ele convidou mulheres da terceira idade para subir ao palco. Nove ‘senhoras’ aceitaram o convite e dançaram, rebolaram ao som da música “ Dança do Macaco”. “Convidei mulheres com mais de cinquenta anos porque elas sabem rebolar. As meninas da agora só sabem pular e soltar gritinhos”, explicou o músico ao público, que aplaudiu e aprovou a dança das ‘vovós’.

Antes de descer do palco as mulheres ganharam de presente um CD do músico. “Nesse meu novo trabalho tem uma homenagem ao secretário Chico Cesar. Ele é muito conhecido no Pará, além de ser uma pessoa de quem eu gosto muito”, afirmou Pinduca.
O encerramento do show foi marcado pela alegria do público e do música nortista. Cantando antigos sucessos, as milhares de pessoas que foram ao Ponto de Cem Réis dançaram e cantaram, com a certeza de que tão cedo Pinduca não vai se aposentar e voltar à João Pessoa.

Valorização cultural – Antes do principal show da noite, a programação deste sexta-feira teve início com um cortejo formado por representantes das tribos ‘Tupinambá’, do Mestre Carboreto, oriunda de Mandacaru; ‘Tupy Guanabara’,da cidade de Santa Rita, comandada pelo Mestre Manoel Adelino; ‘Papo Amarelo’, de Cruz das Armas, sob o comando de Mestre Genildo; ‘Ubirajara’, também do bairro de Cruz das Armas, organizada pelo Mestre Zé Teixeira, e Pele Vermelha, do Cristo Redentor, que tem á frente a Mestra Dona Inácia. O público aprovou a iniciativa da Funjope como forma de valorizar as tradições culturais de João Pessoa. “Vemos essas apresentações por ocasião do carnaval, que é uma vez por ano. Em shows assim, é a primeira vez que assisto a uma apresentação e gostei”, falou a garçonete Elizama Alves.