Casarão apresenta as exposições ‘Phatos das Dores e Pigmentos’

Por - em 25

Os amantes das artes plásticas terão a oportunidade de visitar, até sexta-feira (20), a exposição conjunta selecionada através do Edital de Ocupação do Casarão 34, ‘Phatos das Dores e das Loucuras’, de autoria de Eulâmpio e ‘Pigmentos Energéticos – Café’, de Potsdan, em cartaz no Salão da Unidade Cultural, localizada na Praça Dom Adauto, nº 34, no Centro da Capital, que faz parte da Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope).

‘Phatos das Dores e das Loucuras’

Este é o título da exposição de autoria do escultor Eulâmpio, que contém 12 esculturas em terracota, que remetem as expressões de rostos humanos onde as figuras se apresentam atreladas a diferentes sentimentos, refletidos nestas expressões e reforçadas nos títulos das peças, a exemplo de ‘psyche’, ‘melancolia’, ‘desassossego’, decepção’, ‘solidão’, ‘incerteza’, ‘aflição’, ‘remorso’, ‘angústia’ e ‘loucura’.

Em texto intitulado ‘Anatomia da Arte’, o artista plástico Chico Pereira revela a sua impressão sobre o autor da exposição. “Em Eulâmpio, reconheço uma situação muito especial quando o artista, que também é professor de Anatomia, pretende transferir seus conhecimentos de ciência para as artes numa razão inversa dos artistas do passado que buscavam no estudo do corpo uma realidade segura para a construção dos seus objetivos estéticos. O artista vai mais além quando suas modelações extrapolam a anatomia e se projetam na representação psicológica da figura”.

‘Pigmentos Energéticos – Café’

A exposição de autoria de Potsdan retrata a história do café em diferentes civilizações, desde a sua origem, como uma bebida saborosa e aromática, com propriedades tonificantes e que sempre provocou paixões e controvérsias. A exposição conta com 17 gravuras, revelando paisagens, fauna, elementos e situações ligadas ao café, desde o seu cultivo até a degustação, utilizadas pelos etíopes, na antiga Absínia, há mil anos, até a globalização do café, vivida nos dias de hoje. As pinturas utilizam as técnicas café sobre papel, em 16 peças, e açaí sobre tela, em uma peça.

O artista Potsdan Pinho, é natural de Rio Branco, no Acre, já participou de diversas exposições individuais e coletivas e participação em importantes salões de artes plásticas, a exemplo do Salão Municipal de Artes Plásticas (Samap), nos anos de 1990, 1991 e 1996. O artista foi vencedor por duas vezes do Concurso Listel, em Rio Branco, no Acre, nos anos de 1988 e 1989. Mais informações na Unidade Cultural casarão 34, ou pelo telefone 3218-9708, em horário comercial.