Casos de dengue na Capital são um dos menores do Nordeste

Por - em 28

A cidade de João Pessoa encontra-se em situação confortável em relação ao registro de novos casos de dengue em 2010. Das nove capitais do Nordeste, a Capital paraibana é uma das poucas que se encontra em situação satisfatória, de acordo com o levantamento realizado pelo Ministério da Saúde (MS).

Um balanço divulgado segunda-feira (10) pelo MS revelou que o número de casos da doença no Brasil quase dobrou em relação ao ano passado. Até o início do mês de abril deste ano foram registrados 447.769 casos de dengue. No mesmo período do ano passado, o número correspondia a 248.970. Em João Pessoa foram notificados 65 casos da dengue clássica e nenhum caso da dengue hemorrágica neste período.

De acordo com a diretora de Vigilância à Saúde, Julia Vaz, um pequeno aumento nos casos de dengue já é esperado pelas equipes da SMS. “O clima atual, com chuvas fortes seguidas de dias muito abafados são fatores que propiciam a proliferação do Aedes Egypit. Além disso, nesse período do ano, os casos de dengue tendem a aumentar por conta do grande volume das chuvas”, afirmou. Júlia garante que as ações de prevenção e combate realizadas pela SMS garantem os bons resultados registrados na Capital.

“Além disso, é importante deixar claro que a população é nossa aliada no combate ao mosquito e ela pode ajudar não deixando água parada, limpando vasos de plantas e denunciando locais que possam virar focos de dengue. O número é o 0800 282 7959”, finalizou Julia Vaz.

A Secretaria Municipal de Saúde vai continuar durante todo o mês de abril com ações de conscientização e combate ao mosquito. Além dessas ações de campo, a SMS realizou no início do ano uma série de capacitações com as equipes que atuam na rede de saúde da família para diagnóstico, manejo clínico e classificação de riscos nos paciente com suspeita de dengue.

Plano de Contingência – Lançado em novembro de 2009, o Plano Municipal de Contingência da Dengue foi aprovado pelo Conselho Municipal de Saúde e contou como componentes norteadores a gestão municipal, assistência ao paciente com dengue, organização do processo de trabalho da rede, qualificação de profissionais, atuação da vigilância epidemiológica, mobilização, controle vetorial e monitoramento. O plano prevê ainda a realização de campanhas educativas que serão executadas ao longo de 2010 e da qualificação dos profissionais que atuam no combate à doença.

Em janeiro de 2010, a Secretaria Municipal da Saúde consolidou uma das metas propostas pelo plano, quando qualificou os profissionais da atenção primária à saúde com o objetivo de promover uma assistência adequada aos pacientes contaminados. No período de 12 a 22 de janeiro durante os dois turnos, foram qualificados todos os profissionais (médicos e enfermeiros) da Atenção Básica para diagnóstico, manejo clínico e classificação de risco do paciente com suspeita de dengue.