Catálogo da mostra de Abelardo da Hora é lançado nesta quarta

Por - em 30

O catálogo da exposição “Amor e Solidariedade – 60 anos de Arte”, do artista plástico pernambucano Abelardo da Hora, será lançado nesta quarta-feira (4), às 17h, no salão panorâmico da Estação Cabo Branco – Ciência, Cultura e Artes. A solenidade, que integra a programação das comemorações de aniversário de dois anos da Estação Cabo Branco, será encerrada com apresentação do grupo de chorinho Toque de Vida.

Através de fotografias coloridas e em preto e branco, o catálogo mostra as 130 obras de Abelardo da Hora – entre salvas, pinturas, cerâmicas, desenhos, conjuntos escultóricos – que ficam expostas na Estação Cabo Branco até o dia 8 de agosto. O catálogo conta ainda com textos, em português e inglês, sobre a vida e a obra de Abelardo da Hora, escritos pelo curador Renato Magalhães Gouvêa e por Abelardo da Hora Filho, diretor executivo do Instituto Abelardo da Hora (IAH).

Na opinião do diretor da Estação Cabo Branco, Fernando Abath, que também produziu texto para o catálogo, o artista é mais do que um escultor. “Abelardo nos oferece um olhar sobre as vidas humanas com suas vivências sofridas, alegres ou exitosas”, comentou.

As fotografias e imagens do catálogo, todo em papel couché de 30 gramas, foram captadas pelo fotógrafo Thomas Baccaro e evidencia toda a delicadeza e expressividade de um dos escultores mais completos do Brasil ainda em atividade. Traz também uma grade cronológica sobre a vida do escultor desde quando nasceu, em 1924, em São Lourenço da Mata (PE), até 2008, quando foi homenageado no Carnaval Multicultural do Recife, no centenário do frevo.

A curadora geral da Estação Cabo Branco, a artista plástica Lúcia França, destacou no catálogo que Abelardo denuncia a fome e a dor, e nos convida a refletir sobre nossas atitudes, o que demonstra que ele é um artista engajado e comprometido com o seu povo. “Assim como os grandes mestres, ele consegue sintetizar perfeitamente beleza e técnica”, escreveu a curadora.

Amor e Solidariedade – A mostra individual de Abelardo da Hora é uma parceria entre o Instituto Abelardo da Hora (IABH) e a Estação Ciência – Cultura e Artes, que trouxe para João Pessoa 130 obras do artista. Além das esculturas, estão expostos desenhos, gravuras, pinturas e salvas.

As peças estão dispostas em dois lugares da Casa. Na área externa estão as obras maiores e mais pesadas do artista. Na parte interna, instalada no segundo pavimento da Torre Mirante, podem ser vistas 113 obras, entre elas, esculturas em concreto e bronze, painéis cerâmicos e esculturas em pequenos formatos, bustos e relevos escultórios.

Abelardo da Hora – O artista nasceu no ano de 1924 em São Lourenço da Mata (PE). Formado pela Escola de Belas Artes do Recife, conviveu com nomes como Vicente do Rêgo Monteiro e Hélio Feijó. Vanguardista, foi um dos fundadores da Sociedade de Arte Moderna do Recife e um dos precursores da arte cinética no país. É mestre de toda uma geração de artistas pernambucanos de renome, partindo de Francisco Brennand até José Cláudio, Corbiniano Lins, Guita Scharifker, Gilvan Samico e Wellington Virgolino.

As obras de Abelardo da Hora estão espalhadas por todo o mundo: China, França, Estados Unidos, Suíça, Rússia e na antiga Tchecoslováquia. No Brasil, integra os acervos do Museu Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro, Museu do Solar do Unhão na Bahia, MASP (Coleção Pietro Maria Bardi), MAC da USP, MAMAM do Recife e em inúmeras coleções particulares.

Todos os países da Europa, além da Mongólia, Argentina, Canadá e EUA (incluindo individual na Biblioteca do Congresso), já receberam suas obras em exposições individuais e coletivas. Diversas vezes premiado em Salões de Artes Plásticas em todo o país, desde a década de 50 é Delegado em Pernambuco da Secção Brasileira da Internacional de Artes Plásticas ligada à UNESCO, além de ser um dos fundadores da ABDE em Pernambuco.

SERVIÇO:
Lançamento: Catálogo Amor e Solidariedade – 60 Anos de Arte
Dia: Quarta-feira (4)
Hora: 17h
Local: Salão panorâmico da Estação Cabo Branco – Ciência, Cultura e Artes, localizada na Av. João Cirillo da Silva, Altiplano Cabo Branco.