Cavalo e bois são recolhidos pela Emlur nos bairros de JP

Por - em 64

Animais de grande porte soltos em ruas e avenidas de João Pessoa representam perigo para a população, podendo provocar acidentes de trânsito, entre outros transtornos. Para combater o problema, a Autarquia Especial Municipal de Limpeza Urbana (Emlur) dispõe de um Centro de Apreensões de Animais que realiza o recolhimento de eqüinos (cavalos), muares (jumentos) e bovinos (bois) soltos indevidamente dentro do município. Só este ano, a equipe responsável por esse serviço já recolheu 210 animais.

O código de postura de João Pessoa determina que esses animais não podem circular livremente por vias públicas. “Quem deseja possuir animais de grande porte na cidade deve ter um criadouro regulamentado”, explicou o coordenador do Centro de Apreensões, Paulo Moura.

Diariamente, um caminhão boiadeiro circula por 60 bairros da cidade fiscalizando e resgatando os animais que são levados até o Centro de Apreensões, localizado no Engenho Velho, área rural de João Pessoa. O percurso de circulação do veículo vai da Mata do Amém à divisa com o Conde, indo até Manguinhos, nas proximidades de Bayeux. A Emlur também recolhe animais que estejam circulando na rodovia federal que corta o município.

No Centro, os animais recebem uma identificação e são avaliados para a detecção de possíveis problemas de saúde. Em seguida são encaminhados para as baias e alimentados, ficando até serem procurados por seus proprietários. A alimentação consiste em capim elefante moído e água fresca.

Para retirada do animal do Centro de Apreensões, o proprietário deve apresentar algum documento de identificação e pagar uma taxa simbólica de tempo de manutenção e cuidado, que varia de acordo com o tipo. Bovinos (boi e vaca) custam R$ 35; equinos (cavalos e éguas), R$ 20; e muar (jumentos e burros), R$ 10. Fêmeas com filhotes não são cobrados. Segundo Paulo Moura, quando o bicho não é procurado, ele é destinado à doação. “Se o dono do animal não aparece, estuda-se uma possibilidade de doação especificamente para criadores da zona rural”, afirmou o coordenador do Centro.

Perigos – Animais de grande porte soltos nas ruas e avenidas da cidade podem causar sérios problemas, como acidentes de trânsito, ataques, além da danificação de aparelhos públicos como canteiros, praças, e invasão a terrenos baldios. Esses bichos também rasgam sacos de lixo domiciliar depositados para coleta, dando trabalho à população que deverá acondicioná-lo novamente para ser recolhido pelos caminhões de coleta “Os donos dos animais nunca aparecem quando eles provocam algum acidente fatal”, disse Paulo Moura.

O superintendente da Emlur, Coriolano Coutinho, alerta os proprietários para terem o cuidado de não deixar os animais de grande porte circular livremente pelas ruas da cidade. “O risco de acidente é muito grande, geralmente causando a morte dos animais, ferimentos e danos materiais às pessoas. Caso a população perceba essa situação, é importante que ligue para o Alô Limpeza para que possamos tomar as providências necessárias”, afirmou o titular da pasta.

A população deve avisar caso flagre algum animal de grande porte solto nas vias públicas da cidade através do número do Centro de Apreensão de Animais: 3233-3543; ou pelo Alô Limpeza: 08000 83 24 25.